Madri, capital da Espanha, será responsável por sediar a 25ª Conferência de Partes na Convenção de Clima da ONU. A notícia foi confirmada na última sexta-feira (1º), dois dias após o presidente do Chile, Sebastián Piñera, desistir de hospedar o evento.

Após o governo espanhol colocar-se à disposição, a secretária-executiva da ONU sobre Mudanças Climáticas, Patricia Espinosa, ressaltou, em nota, o espírito coletivo da ação. “É encorajador ver os países trabalhando juntos no espírito do multilateralismo para enfrentar as mudanças climáticas, o maior desafio que esta e as futuras gerações enfrentam”.

O recuo do Chile pegou a muitos de surpresa, inclusive, movimentos da sociedade civil latino-americana já estavam preparados para viajar ao país. Grupos que se articulam em fóruns e assembleias paralelas ao “evento oficial” na busca por soluções coletivas como contraponto aos acordos entre governos. Um deles, a Comissão da Cúpula dos Povos decidiu manter o evento no Chile.

A espanha vai realizar a COP25 nas mesmas datas originalmente planejadas, de 2 a 13 de dezembro de 2019.

Foto: Enrique Dans/cc

Leia também: Às vésperas do evento, Chile desiste de sediar COP25