horta teto IBM
Foto: Divulgação | IBM
- Publicidade -

Aproveitar a cobertura de casas e prédios nos centros urbanos para construir hortas e jardins é uma das maneiras de trazer mais verde para as cidades, reduzindo ilhas de calor e produzindo alimentos.

Em São Paulo, a IBM começou um projeto de horta urbana no telhado da sua sede em São Paulo no início de 2020. A horta deu super certo e, só no primeiro semestre de 2021, foram produzidos 600kg de alimentos.

Com o objetivo em reduzir a pegada de carbono da empresa com um espaço verde em meio a um cenário urbano, o projeto incluiu a produção de alimentos orgânicos. Atualmente, a horta tem quase  500 caixas e 4 mil mudas em produção de verduras, legumes, tubérculos, PANCs, temperos e chás.

- Publicidade -

Antes da pandemia, os alimentos orgânicos eram utilizados nos pratos do cardápio do restaurante interno da IBM. Os resíduos do refeitório também tinham um destino mais sustentável e cerca de 250kg de material orgânico eram compostados semanalmente, gerando adubo para a horta e evitando o envio deste material a aterros.

Com a pandemia, a maioria dos funcionários da empresa está trabalhando remotamente e a produção passou a ser entregue gratuitamente aos trabalhadores que seguem realizando serviços essenciais na sede da IBM.

Além de melhorar a alimentação dos funcionários e contribuir para levar mais verde à uma região tomada por prédios e asfalto, a horta urbana beneficia direta e indiretamente mais de 60 famílias de pequenos agricultores da grande São Paulo e do cinturão verde da Zona Leste da capital – são eles que produzem e fornecem as mudas para a IBM.

Outras parcerias positivas são a contratação de mulheres em situação de  vulnerabilidade social para a manutenção da horta e o uso de material reciclável de cerca de 15 cooperativas que é usado na produção das mudas.

Foto: Divulgação | IBM

Emissões zero até 2030

Em fevereiro deste ano, a IBM anunciou que alcançará emissões líquidas zero de gases de efeito estufa até 2030. A companhia cumprirá essa meta priorizando as reduções atuais em suas emissões, os esforços de eficiência energética e o aumento do uso de energia limpa nos mais de 175 países em que opera.

“A crise climática é um dos problemas mais urgentes do nosso tempo. O compromisso da IBM em alcançar emissões líquidas zero é um passo importante que posiciona a nossa companhia anos à frente das metas firmadas no Acordo de Paris”, disse Arvind Krishna, Presidente e CEO da IBM.

Para alcançar essa meta de emissões líquidas zero, a IBM se comprometeu a reduzir suas emissões de gases de efeito estufa em 65% até 2025, em relação ao ano base de 2010, conseguir que 75% da eletricidade consumida globalmente venha de fontes renováveis até 2025, e de 90% até 2030 e utilizar tecnologias viáveis, como a captação de carbono (em ou até 2030) para eliminar as emissões em uma quantidade igual ou superior ao nível de emissões residuais da IBM.

- Publicidade -