Recentemente, a Panasonic apresentou uma nova lanterna LED alimentada com energia solar, viabilizada para regiões com difícil acesso à rede elétrica e a outros recursos básicos. Chamado de BG-BL03, o equipamento acompanha um painel fotovoltaico e também pode gerar energia para carregar celulares, tocadores de MP3, tablets e outros gadgets.

As baterias da lanterna carregam-se totalmente depois de passarem seis horas conectadas ao módulo gerador fotovoltaico, que possui capacidade de 3,5 W e permite que os LEDs fiquem acesos por até 90 horas ininterruptas, de acordo com a sua intensidade. Ou seja, quanto menos brilho tiver a luz, maior a duração – por outro lado, com brilho máximo, a lanterna dura apenas 6h (mesmo tempo necessário para cada recarga).

Além de serem econômicas, as novas lanternas não emitem poluentes na natureza, como gases tóxicos, querosene e outras substâncias, nem durante a fabricação e nem depois do descarte.

A marca afirma que, em breve, a lanterna sustentável será comercializada em escala global, e, segundo informou o site internacional Treehugger, os primeiros países a comercializarem as lanternas BG-BL03 estão localizados na África e na Ásia: Quênia, Mianmar, Camboja, Indonésia, Bangladesh e Malásia serão os focos de mercado principais da Panasonic.

Nestes países, a marca também espera fortalecer o projeto “100 mil lanternas solares”, que tem por principal objetivo a doação de lanternas solares para populações carentes.

Redação CicloVivo

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.