Uma jovem norte-americana criou um capacitor que reduz o tempo de espera da recarga de celulares e outros dispositivos eletrônicos. De acordo com a estudante, trinta segundos é o tempo necessário para a carga ser completada.

A invenção rendeu a Eesha Khare, de 18 anos, uma bolsa de estudos de 50 mil dólares. O prêmio foi concedido pela Intel Foundation que realizou o Isef (Feira Internacional de Ciência e Engenharia da Intel), na última sexta-feira (17).

O capacitor é capaz de armazenar uma grande quantidade de energia. As baterias tradicionais sustentam até mil ciclos de carga e recarga, enquanto a invenção de Eesha aguenta dez mil ciclos. A invenção também pode ser aplicada a baterias de carros.

Outro norte-americano Henry Wanjune Lin, de 17 anos, também ganhou destaque. Ele recebeu a mesma quantia em dinheiro pela criação de um sistema que simula as galáxias do universo.

Mesmo com invenções interessantes quem realmente ganhou a maior bonificação foi o romeno Ionut Alexandru Budisteau, de 19 anos. Ele recebeu o prêmio Goodon E. Moore, nome do fundador da Intel, por desenvolver um modelo de baixo custo de carro que dirige sozinho.

O veículo adaptado pode reconhecer faixas de pedestre e sinais de trânsito, desviar de obstáculos, fazer curvas acentuadas e estacionar sem auxílio do motorista. Usando inteligência artificial, ele criou um projeto que no total somou apenas quatro mil dólares. Em troca, recebeu uma bolsa de 75 mil dólares. 

A edição teve a participação de quase dois mil estudantes de mais de 70 países. Com informações do G1.

Redação CicloVivo

 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.