Milhares de crianças na Ucrânia vivem nas ruas. Abaixo da linha da pobreza, elas estão expostas a todo tipo de violência. Como um convite à reflexão, uma campanha mostrou que é necessário buscar soluções mais eficazes para essa situação.

Foram produzidos diversos cartazes no formato de criança. Em cada desenho se via uma situação parecida com a que vemos nas ruas: crianças agachadas, fumando, pedindo esmola. As “crianças de papel” foram colocadas na rua com a seguinte mensagem: “Você pode me arrancar, mas não pode arrancar o problema”.

Além da ação nas ruas, o Facebook também foi utilizada para espalhar a campanha. Os próprios usuários marcavam os amigos nas fotos dos cartazes. A imagem então ficava no mural da pessoa, a menos que ela quisesse retirá-la, o que também levava à reflexão sobre a mensagem.

O problema das crianças ucranianas não é recente. Desde a Guerra Civil e a Segunda Guerra Mundial muitas delas foram abandonadas ou perderam seus pais. Aliás, mesmos as que têm um teto para morar também enfrentam problemas de saúde e, apesar da proibição, álcool e cigarros são muito acessíveis a elas. Em 2012, o Voz da Rússia afirmou que o número de crianças sadias na Ucrânia diminuiu um terço em dez anos.

A imensa quantidade de crianças e adolescentes nesta situação no país também inspirou o fotógrafo escocês David Gillanders a criar um curta-metragem chamado de "Os Negligenciados". Assista abaixo:

Com informações do Hypeness.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.