- Publicidade -

O poliestireno é um dos produtos que mais causa preocupação em termos ambientais. A justificativa para isso é que o isopor, como é popularmente conhecido, é um composto químico com prazo indeterminado para decomposição. Porém, no que depender da empresa Ecovative Design esses problemas estão com os dias contados.

A empresa utilizou recursos 100% naturais para a fabricação da embalagem EcoCradl. Através da junção de restos agrícolas e cogumelos a Ecovative Design criou uma espuma tão natural que pode até ser ingerida. Depois de usada ela pode até servir de adubo no jardim.

As vantagens da Mycobond, nome dado à espuma, não estão somente em sua decomposição. A quantidade de energia necessária para sua fabricação é oito vezes inferior às espumas comuns e a quantidade de CO² emitida nesse processo chega a ser dez vezes menor.

- Publicidade -

Os estudantes Gavin McIntyre e Eben Bayer são os donos da empresa e da ideia. A produção, nada mais é do que um plantio diferenciado do cogumelo mycelia. Para alimentar as fibras dessa espécie de fungo, são utilizadas sementes de algodão e fibras de madeira. Eles crescem ao redor de uma estrutura de plástico que determina o formato que a embalagem deve ter. Quando a peça está pronta ela é aquecida, para impedir que a mycelia continue crescendo.

A dupla criativa responsável pela invenção ecológica, está trabalhando em uma pesquisa que consiga minimizar ainda mais os impactos ambientais causados pela fabricação do EcoCradl. O produto pode ser comprado pelo site da Ecovative Design, que também oferece isolamento térmico feito a partir do Mycobond.

Com informações da Info Online

+ Lifebox – Plantando Caixas

+ Lixeira feita de chicletes reciclados é testada em Londres

- Publicidade -