Desenhado por Michael Edenius, designer sueco, o “Clean Closet” é um armário especializado que, depois de pendurar suas roupas no cabide, verifica as impurezas do tecido e limpa-o removendo partículas e odor em questão de minutos. Para isso, usa o que é chamado de “tecnologia molecular”, uma técnica que faz uso do ar que é levado para dentro do armário. Portanto, não há água consumida durante o procedimento de limpeza.

O designer desenvolveu este armário conceito para a Competição Electrolux Design Lab 2010 o qual foi finalista. O “Clean Closet” é essencialmente um armário que lava roupa. Os têxteis são digitalizados para verificar as impurezas e são limpos em conformidade com a tecnologia molecular, que remove as sujeira e os odores. O conceito substitui o cesto de roupa, máquina de lavar, secar e armário para economizar espaço e, como não há água utilizada no processo, reduz os impactos ambientais. 

Em uma entrevista à Electrolux, Edenius explica que foi inspirado por aprender mais sobre como nosso planeta é hoje e como as previsões para o futuro parecem partir de uma perspectiva sustentável. A falta de água potável é um exemplo, segundo a Unicef há mais de um milhão de crianças morrendo anualmente de doenças transmitidas pela água, enquanto utilizamos água limpa para lavar a louça e roupas.

“Outra coisa interessante foi imaginar viver 40 anos a partir de agora. Que tipo de produtos para casa nós realmente precisaremos? Você pode combinar duas ou várias necessidades em um único produto? Foi realmente divertido jogar com diversos cenários sobre a vida em 2050.”

Para ele, as pessoas iriam querer o seu conceito pelos benefícios que ele oferece e a simplicidade além de ter sempre roupas limpas e nunca ter de lavá-las. O armário guarda um monte de espaço em sua casa por causa de todos os produtos que ele substitui além do que ele faz um grande favor ao meio ambiente uma vez que não usa água.

Os materiais usados para construir conceito seriam: plásticos brilhantes e rígidos que oferecem uma sensação fresca e limpa, se encaixando no conceito principal que é a limpeza das roupas. Os cabides devem ser em alumínio brilhante, para criar reflexos através das capas transparentes. Ele também irá dar ao usuário uma relação de confiança convincente, pois é possível relacionar o material dentro do contexto de lavandaria. As capas das roupas seriam mais visionárias, um material de plástico transparente com aspecto de vidro. O material deverá ser sólido em todo seu entorno mas ainda assim lhe permite abrir e fechar as capas. “Em 2050, todos esses materiais serão 100% recicláveis e produzido sob boas condições”, acredita o designer.

[VIDEO:clean_closet]

Redação CicloVivo

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.