Os brasileiros Bruno e Pedro Pagnoncelli e Bruno Ferrari ganharam um prêmio internacional por criarem um dispositivo que garante a sobrevivência de mudas de árvore em áreas de reflorestamento. A tecnologia foi desenvolvida para reduzir a taxa de cerca de 30% das mudas de árvores morrem nos primeiros três anos após o plantio.

A morte das mudas ocorre porque nos primeiros anos elas estão especialmente vulneráveis a insetos e outros inimigos naturais, além de precisarem de nutrição e irrigação para se manterem saudáveis. A invenção dos cariocas, batizada de Nucleário, foi então reconhecida pelo Biomimicry Global Design Challenge por proteger as mudas destas ameaças.

Como o Nucleário funciona

O formato do dispositivo foi inspirado no design das bromélias e ele funciona como uma barreira protetora para a muda, que é plantada no meio do círculo. Graças a seu design, o Nuclueário retém água da chuva e a libera nos períodos de estiagem, garantindo a irrigação necessária para a sobrevivência da muda.

Fotos: divulgação/reprodução Facebook Nucleário

Outra vantagem do design da invenção é que seu formato age exatamente como barreira contra formigas cortadeiras, uma das principais responsáveis pela muda não vingar no local plantado.

O Nucleário dispensa mão de obra e monitoramento após o plantio das mudas na área de reflorestamento. Além disso, o dispositivo é feito com material 100% biodegradável e começa a se desintegrar no solo a partir do terceiro ano do plantio.

Prêmios

A competição do Biomimicry Global Design Challenge tinha como objetivo promover inovações no combate às mudanças climáticas e premiou o Nucleário em $100 mil dólares americanos. Apesar da premiação promovida pela fundação estadunidense Ray C. Anderson ser um grande reconhecimento, este não foi o primeiro prêmio que o dispositivo de proteção de mudas levou.

Internacionalmente, a invenção ganhou o BraunPrize, da Alemanha, RedDot, de Singapura, e agora o prêmio norte americano de International Design Excellence e o Biomimicry Global Design Challenge. Nacionalmente, o Nuclueário levou o IdeaBrasil e foi um dos finalistas do Desafio Ambiental, realizado pelo WWF-Brasil.