Foi inaugurada em Curitiba na última sexta-feira (3) mais uma Casa so+ma, um programa que busca estimular o hábito da reciclagem por meio de benefícios. É possível trocar material reciclável por alimentos, serviços, desconto em comércio local e até mesmo cursos de qualificação profissional por meio do programa so+ma vantagens.

A iniciativa contou com o patrocínio da Sig Combibloc, fabricante de embalagens, e teve o apoio da Prefeitura de Curitiba e do Governo do Paraná. Funcionando em fase piloto na Cidade Industrial de Curitiba (CIC), o projeto já recebeu quase 7,5 toneladas de resíduos em apenas cinco meses de funcionamento.

Como funciona:

  • O cidadão leva o material reciclável já separado;
  • Cadastra-se no local e ganha uma carteirinha de participante;
  • Os resíduos são pesados (para cada tipo de material existe uma pontuação diferente);
  • O peso do material vira pontos no programa;
  • Os pontos são acumulados como créditos;
  • A pessoa então escolhe a recompensa que deseja trocar.

Entre as recompensas existem alimentos da cesta básica (como arroz, feijão, óleo e farinha) e diversos cursos de aprimoramento profissional como fotografia, artesanato, negócios, culinária, moda, beleza e confecção de joias. Os créditos também podem ser usados como desconto na compra de óculos de grau e até mesmo virar criptomoedas.

Todo o material reciclado vai para uma cooperativa de catadores da região, ajudando para que eles recebam um volume maior de resíduos recicláveis, com mais qualidade e higiene. “O objetivo é que ao mesmo tempo que a gente traga impacto ambiental, tirando os resíduos do meio ambiente, a gente consiga somar o impacto social”, disse Cláudia Pires, fundadora da Casa so+ma.

Casa so+ma na Cidade Industrial de Curitiba (CIC) | Foto: Divulgação

Índice de reciclagem

Com esta iniciativa junto à Casa so+ma, a Sig espera contribuir para a mudança de comportamento e ampliação dos índices de reciclagem nas comunidades próximas, mostrando que embalagens e outros materiais recicláveis têm valor.

“A Sig é uma empresa de embalagem, então é extremamente importante para nós garantir que elas sejam recicladas. O desafio é como fazer isso, pois é uma cadeia onde é preciso ter um cidadão educado que saiba reciclar, uma infraestrutura para receber os materiais e um mercado reciclador que dê valor comercial a estes resíduos”, disse Isabela De Marchi líder de sustentabilidade da Sig. “A iniciativa da so+ma impacta no hábito efetivo das pessoas, pois é mais fácil para elas mudarem seus hábitos quando estão praticando”, finaliza Isabela.

Reciclagem em Curitiba

O Prefeito de Curitiba, Rafael Greca, presente na inauguração, enxerga de forma inteligente a troca de vantagens para a população, pois além de gerar impacto positivo, ela ainda faz com que a prefeitura economize na limpeza da cidade e de suas galerias pluviais, evitando também as enchentes. “Se nós tratarmos bem o meio ambiente, os rios, os bairros, os parques e os terrenos baldios, nós estaremos tratando bem a nós mesmos.”

Segundo Marilza Dias, Secretária de Meio Ambiente de Curitiba, a cidade já separa 22% de seus resíduos para reciclagem, contra a média nacional de 3%. Todo o material que a prefeitura arrecada vai para 40 cooperativas de catadores.

A ideia da prefeitura é instalar dez unidades da casa so+ma na cidade junto aos novos ecopontos, que recebem resíduos de construção civil e vegetal. A prefeitura de Curitiba também já possui há trinta anos o Câmbio Verde, programa que troca resíduos recicláveis por alimentos e já funciona em 102 endereços pela cidade. Veja no vídeo abaixo:

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.