negócios sustentáveis
Ergo Pés, ferramenta 100% sustentável para atendimento de podologia.

Anualmente, o Senac São Paulo realiza o Empreenda-Senac, uma competição interna entre alunos de cursos de diversos níveis de ensino. Os vencedores, neste ano, foram divididos em 4 categorias: Programa Educação para o Trabalho,  Programa Senac de Aprendizagem, Cursos Técnicos e Ensino Médio Técnico, Graduação e Pós-graduação. Em cada uma delas, foram escolhidos 3 vencedores – do primeiro ao terceiro lugar.

A 13ª edição do Empreenda-Senac recebeu 3.185 inscritos, sendo 509 projetos classificados para a 2ª fase. Os vencedores foram anunciados em um evento virtual realizado no canal do YouTube do Senac São Paulo. Eles ganharam prêmios como workshops de empreendedorismo, para refinar seus projetos com profissionais renomados no mercado, tablets, leitores de livros, entre outros itens.

Conheça os projetos vencedores

Leticia dos Santos, aluna do Programa Educação para o Trabalho

O grande projeto vencedor da noite foi a Confecção de Roupinhas para Bonecas com Sobras de Retalhos de Tecidos, da aluna Letícia dos Santos, do curso Programa Educação para o Trabalho: trampolim do Senac Santos. Além de conquistar o 1º lugar, na categoria Programas, foi escolhido 100 mil vezes por meio do Voto Popular, realizado pela primeira vez com o objetivo de envolver o público geral e assim amenizar os efeitos gerados pelo isolamento social.

Já os empreendimentos Aqueceblusa, do Senac Registro, unidade do interior paulista, e o Sou Eco, do Senac Aclimação, na capital, ficaram com os 2º e 3º lugares respectivamente.

Letícia desenvolveu a ideia a partir de seu gosto de brincar com bonecas, assim como com a dificuldade em encontrar opções de roupinhas para comprar e assim tornar a brincadeira completa e consciente.

“Resolvi fazer os meus próprios desenhos do jeito que sempre imaginei, até como uma maneira de homenagear pessoas pelas quais tenho muita estima. Apesar da dificuldade de encontrar quem colaboraria costurando, minha mãe e eu decidimos colocar a mão na massa e começamos a desenvolver nossas roupinhas com sobras de tecidos. A produção das primeiras peças nos entusiasmou muito, o que acabou contagiando outras pessoas a nos enviar retalhos para aumentar a produção. A partir disso, surgiu a ideia de inscrever a confecção no Empreenda-Senac e agora o desejo de transformá-la numa empresa”, explica a vencedora.

Outra novidade foi a inclusão do Ensino Médio Técnico na competição, criando assim a categoria Cursos Técnicos e Ensino Médio Técnico. Foi nela que o projeto Ergo Pés, das alunas Carla Camargo e Tania Fujii, do curso Técnico em Podologia do Senac Barretos, no interior, conquistaram o 1º lugar. Já em 2º e 3º lugar ficaram o Compartilhe Saúde, do Senac Tiradentes; e o Mundo da Inclusão, do Senac Jardim Primavera, ambos de unidades da capital paulista.

negócios sustentáveis
Ergo Pés, ferramenta 100% sustentável para atendimento de podologia

As entusiastas da Ergo Pés desenvolveram um equipamento com a proposta de proporcionar mais conforto ao cliente e ao profissional durante o atendimento de podologia. A ferramenta é 100% sustentável, já possui encomendas e será comercializada em breve.

“Nos planejamos durante 2 anos entre desenvolver e inscrever o projeto na competição, então agora podemos dizer que o sonho se tornou real. Além de ganharmos, conquistamos o 1º lugar e já estamos negociando de verdade. Nossa jornada contou com muito aprendizado profissional, mas principalmente pessoal. Agradecemos a todos que acreditaram, apoiaram e ajudaram durante toda a nossa jornada”, comenta Tania.

Edson San, componente do empreendimento Caçamba Legal 

O empreendimento Caçamba Legal, dos alunos Edson San, Douglas Lima de Assis Mariano e Jocelyn Batista Venegas, do curso Tecnologia em Gestão da Tecnologia da Informação do Centro Universitário Senac – Santo Amaro, na capital, foi o vencedor na categoria Graduação. Já os projetos Senior Food e Bandeco, também do Centro Universitário Senac – Santo Amaro, ficaram com os 2º e 3º lugares respectivamente.

A iniciativa dos grandes vencedores pretende reunir, por meio de um aplicativo, empresas que operam caçambas e que fazem a coleta, o transporte e o descarte do entulho de maneira legal e sustentável. A ideia é fazer com que o consumidor possa contratar e verificar se o entulho teve uma destinação correta. “O projeto surgiu após eu presenciar caçambeiros descartando irregularmente os resíduos nas ruas. Pensei em criar algo para que a população pudesse rastrear as caçambas e conferir se o entulho foi descartado adequadamente”, conta Edson.

Erick Correia Mota, criador do Aquaponia Urbana  

Já na categoria Pós-graduação, o vencedor foi o Aquaponia Urbana, idealizado por Erick Correia Mota, aluno da pós-graduação em Avaliação de Impactos Ambientais e Processos de Licenciamento Ambiental do Senac Lapa Tito. Os projetos Playdal, do Centro Universitário Senac – Santo Amaro (EAD); e CONZINH(ELO), do Senac Aclimação, ficaram com os 2º e 3º lugares respectivamente.

Aquaponia Urbana consiste em integrar a produção de vegetais e a criação de peixes, por meio da técnica de aquaponia, correspondente a junção da hidroponia (produção de vegetais sem solo) e da aquacultura (produção de organismos aquáticos, principalmente peixes). A técnica gera alimentos livres de agrotóxicos, sem uso de fertilizantes e pode ser desenvolvido em espaços urbanos como prédios e terrenos abandonados.

“O empreendimento é uma oportunidade para a produção de alimentos de forma sustentável, misturando a criação de peixe e vegetais em áreas degradadas. Além disso, a aquaponia tem um impacto ambiental positivo e pode reduzir os custos da produção dos alimentos e a criação dos peixes”, conta Erick.

Case de sucesso Empreenda-Senac

Em 2017, Alexandre Eduardo Chicarelo, aluno da pós-graduação de Administração e Organização de Eventos do Senac Aclimação, trabalhava no meio artístico quando decidiu dar uma virada em sua carreira e pensou em aproveitar os contatos que já tinha para investir na área de eventos.  Próximo ao final do curso, os docentes informaram o início do prazo de elaboração da monografia e foi então que ele pensou em aliar sua experiência ao conhecimento adquirido até o momento para desenvolver um projeto social no ramo. Assim surgiu a Tripé, uma produtora cultural com o objetivo de criar iniciativas, captar recursos e executar eventos em comunidades carentes, construindo assim uma marca reconhecida e respeitada no segmento.

Ao receber inúmeros elogios dos professores, Alexandre e suas colegas de equipe Jessy Maria Kalil Debs e Karen Goussain de Castro, decidiram inscrever o trabalho na 11ª edição do Empreenda-Senac, realizada em 2018, mas nunca imaginavam que conquistariam o 1º lugar na categoria Pós-graduação e um curso na Babson College, escola particular de negócios em Wellesley, Massachusetts, nos Estados Unidos.

Alexandre Chicarelo e primeiro evento social da Tripé, na Vila Prudente, em São Paulo

Em seguida, Alexandre abriu a Best Show, uma agência de venda de shows que iniciou o ano de 2020 com cerca de 90 eventos vendidos, mas que por conta da pandemia precisaram ser cancelados ou suspensos. Assim, o profissional viu a necessidade de se reinventar e apostou em todo o conhecimento adquirido para repensar a carreira, enxergando um nicho de mercado nas lives inicialmente realizadas durante a quarentena, mas que seguem em alta em 2021, o ajudando a superar a crise e até criando oportunidades.

Hoje, o profissional conta com a Chicarelo Entretenimento, empresa com o principal objetivo de democratizar o acesso à cultura e ao entretenimento, no Brasil, que produz eventos online para a Secretaria de Cultura da Cidade de São Paulo, o que torna cada vez mais próxima a concretização do projeto que garantiu a vitória na competição de empreendedorismo.

“A bagagem conquistada com o curso do Senac é muito grande e ter vencido o Empreenda me instigou a fazer algo que eu já tinha dentro de mim, mas me deu insumos para enxergar o que eu gosto, o que eu acredito e tenho habilidade. Fazer bem feito para quem não pode pagar”, conclui Alexandre.