Quem nunca comprou uma roupa para usar em uma ocasião especial que depois ficou para sempre guardada nos fundos do armário? Misturando conceitos de economia colaborativa, inovação e sustentabilidade, o empresário Wolf Menke se uniu às empreendedoras Dani Ribeiro e Nathalia Roberto para lançar um espaço que, por meio de assinatura, empresta até seis peças de roupas de uma só vez.

A loja “House of Bubbles”, instalada no bairro de Pinheiros, em São Paulo, funciona como uma “roupateca”, isto é, um guarda-roupa compartilhado. É possível pegar uma roupa “emprestada”, desde que seja devolvida limpa e em bom estado no prazo estipulado.

Fachada do espaço colaborativo.
Fachada do espaço colaborativo. | Foto: Divulgação

“A gente quer ajudar as pessoas a pensarem que elas podem ter as coisas só enquanto querem. A ideia não é ser dono. É usar, ter acesso”, conta Nathalia. A publicitária, de 35 anos, acredita que a casa é capaz de provocar reflexões sobre hábitos de vida e consumo. Para ela, a proposta vai de encontro a uma das indústrias mais nocivas para o planeta, que é a moda: “talvez seja uma forma de terem que produzir menos”.

Como funciona?

Foram criados três tipos de planos para assinaturas: a mensalidade de R$ 100,00 permite que o assinante leve uma peça por vez; com R$ 200,00 é possível pegar até três itens juntos; e com R$ 300,00 dá para “alugar” até seis ao mesmo tempo. O procedimento de levar peças para casa pode ser repetido quantas vezes a pessoa quiser, desde que não exceda seu limite de itens por vez e que devolva cada um dentro do prazo, que vai até dez dias.

As peças são concedidas por marcas e doadas por pessoas comuns.
Algumas peças são concedidas por marcas, outras doadas por pessoas comuns | Foto: Divulgação

Desde dezembro até o fim de janeiro, a roupateca conta com cerca de 50 usuários betas, que estão testando a dinâmica. Diana Assennato, diretora de comunicação do House of All – rede responsável pela House of Bubbles e outros espaços colaborativos na cidade – é uma das assinantes e já experimentou o esquema: “Ontem tive uma palestra, peguei um look mais sério. Hoje tenho um evento, então já troquei e peguei algo para usar a noite. É uma super mão na roda”.

Parcerias

No andar de baixo da roupateca, está em instalação uma lavanderia self-service. Já o andar de cima é reservado para startups em expansão que serão convidadas a vender seus produtos no local durante períodos pré-determinados.

A primeira dela foi a Insecta Shoes, produtora de sapatos veganos e ecológicos. Nathalia Roberto explica que a intenção é ajudar marcas que tenham causas parecidas. “Queremos apoiar pequenos produtores que tenham a ver com a nossa filosofia de promover um consumo mais sustentável e consciente”, diz. Dessa maneira, as novas marcas ganham uma chance de divulgação, de testar produtos e o relacionamento com o público.

Ao lado da roupateca ficará um espaço para a marca de sapatos veganos, Insecta Shoes. |Foto: Divulgação
Ao lado da roupateca ficará um espaço para a marca de sapatos veganos, Insecta Shoes. |Foto: Divulgação

A roupateca funciona de segunda a sexta-feira, das 11h às 20h, e aos sábados, das 11h às 17h, na Rua Dr. Virgílio de Carvalho Pinto, 61, em Pinheiros. Para acompanhar a página da roupateca no Facebook, clique aqui, ou no site aqui.