O mundo inteiro está convidado a apagar as luzes neste sábado (23), às 20h30. A ação é um esforço internacional desenvolvido pela WWF desde 2007, que vai durar uma hora e interromper a iluminação de monumentos e pontos turísticos, como o Cristo Redentor e a Torre Eiffel.

Neste ano, 94 cidades brasileiras se comprometeram a desligar as luzes por uma hora, em nome de um planeta mais verde. Porém, os esforços não devem ficar restritos apenas às autoridades públicas, mas também precisam ser realizados por empresas, organizações e até nas residências.

Para se aproximar da comunidade virtual, a WWF criou a plataforma “Eu Vou se Você For”, disponibilizada no YouTube desde fevereiro. A ação consiste na produção de um vídeo, em que qualquer internauta assume um compromisso e faz um desafio a outra pessoa, convidando-a a tomar uma atitude em nome do planeta. Os interessados em participar da campanha devem se cadastrar no site www.horadoplaneta.org.br.

Realizada desde 2007, a Hora do Planeta consegue envolver mais participantes a cada ano que passa. “A última edição da Hora do Planeta contou com o apoio de mais de um bilhão de pessoas, em sete mil cidades de 152 países no mundo”, disse Andy Ridley, diretor da operação. "Ainda que seja apenas uma hora, já é uma hora", completou Ridley. Uma hora para iluminarmos o planeta apenas com nossas ações e ideias por um futuro mais sustentável.

São Paulo terá pedalada durante Hora do Planeta

Paralelamente à Hora do Planeta, uma bicicletada será realizada em São Paulo, para lembrar a população que as bikes são importantes ferramentas contra o aquecimento global. A concentração para a pedalada acontecerá às 20h, no Vale do Anhangabaú, e os ciclistas vão percorrer pontos do centro histórico que estarão apagados – como o Theatro Municipal e a Biblioteca Mário de Andrade. Para reforçar a segurança no circuito da pedalada, estarão presentes os Bike Anjos, a CET e a Polícia Militar.

 

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.