esponja compostável
Foto: Ákora
- Publicidade -

Indispensável no dia a dia, a esponja comum de limpeza possui plástico poliuretano em sua composição. Ao fim da sua vida útil, o material pode ser reciclado, mas programas de reciclagem ainda têm alcance bastante limitado. De olho neste filão do mercado, a empresa brasileira Ákora começou a fabricar a “Ecomais”: uma esponja compostável de fibras de coco.

Feita de produtos naturais, sem derivados de petróleo, a Ecomais é composta por celulose (lado amarelo) e fibras de coco (lado marrom). O modelo é 90% biodegradável e se decompõe rapidamente no meio ambiente quando descartada.

A Ákora afirma que sua esponja compostável não risca panelas antiaderentes. O lado marrom, mais abrasivo, pode riscar superfícies como aço inox com acabamento espelhado, porém “a chances de risca são menores, comparada às esponjas convencionais e lã de aço”, garante a companhia.

- Publicidade -

Esta alternativa ecológica também não perde em durabilidade, que é de cerca de 15 dias. O tempo é o mesmo recomendado para troca das esponjas “verdinhas”, comumente usadas. A fabricante, no entanto, ressalta que este tempo pode ser maior ou menor de acordo com a intensidade de uso.

Foto: Ákora

Há 11 anos no mercado, a Ákora já comercializa 45 tipos de produtos voltados para limpeza doméstica e profissional. Em comum, todos são ecológicos. Além das esponjas compostáveis, chamam atenção uma gama de panos capazes de limpar sem uso de produtos químicos.

Esponjas

Outra solução interessante que pode ser adotada para substituir as esponjas descartáveis ​​de plástico são as esponjas vegetais, que podem ser compradas ou cultivadas em casa. Saiba como plantar sua própria bucha vegetal.

bucha vegetal
Foto: Jan Helebrant | Pixabay

Para quem ainda não consegue substituir as esponjas comuns é interessante conhecer o programa de reciclagem da TerraCycle. Em 2021, foram recicladas mais de 4 mil quilos do resíduo, por meio do projeto, o equivalente a 523.717 unidades de esponja.

- Publicidade -