Uma empresa mexicana se tornou especialista na produção de água engarrafada proveniente da chuva. A companhia, chamada de “Casa del Agua” recolhe a chuva, trata a água, engarrafa e a comercializa em embalagens retornáveis.

É comum que este processo seja aplicado à água de reuso, em que as precipitações acabam gerando água utilizada para a limpeza de quintais, rega de jardins, descarga, entre outras finalidades, que não o consumo humano.

Por este motivo é que a iniciativa mexicana se torna tão inusitada. O trabalho teve início há pouco mais de um ano, conforme noticiado pela agência France Presse. Antes que a água chegue ao consumidor final, ela passa por um extenso tratamento, que inclui sistemas tradicionais, mas também conta com iniciativas um tanto quanto místicas.

O processo tem início no telhado. A água da chuva cai e o primeiro dos filtros é um jardim, instalado no teto do prédio. A terra detém algumas partículas e o restante da água é encaminhado a uma máquina com filtros que eliminam o odor, sabor e até as partículas minúsculas.

Ainda na fase de purificação, a água é direcionada a tubos, que passam por um processo de destilação, até que ela esteja totalmente limpa. No entanto, ela perde também seus sais minerais.

Para que a água fique viva novamente, é necessário oxigená-la, mantê-la em contato com ímãs e ainda colocá-la em contato com pedras para que ela retome o nível de alcalinidade ideal para o consumo humano. Um dos pontos mais místicos do processo é o contato com as pedras, pois elas são feitas nas palavras: amor, respeito e gratidão e os idealizadores do projeto acreditam que a água seja capaz de absorver estas mensagens. Depois disso, a água ainda é direcionada a uma esfera de vidro que toca música clássica.

A produção diária é de 300 garrafas de água, comercializadas em embalagens retornáveis por, aproximadamente, R$ 6,50. O engarrafamento é feito por apenas quatro empregados.

O México é considerado o maior consumidor mundial de água engarrafada. A média é de que anualmente cada cidadão mexicano consuma 234 litros de água engarrafada. Isso colabora para o descarte diário de 21 milhões de garrafas PET.
 

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.