Um projeto sustentável de colas sem solventes teve a aprovação do Centro de Inovação, Empreendedorismo e Tecnologia (Cietec). A solução foi desenvolvida pela engenheira química Wang Shu Chen, após ter problemas de saúde pela excessiva exposição a solventes.

A engenheira trabalhou durante muito tempo em uma multinacional do setor químico, até que, através de um exame, ficou sabendo que a exposição a solventes resultou em 30% menos glóbulos brancos no sangue. A partir de então, buscou alternativas de desenvolver uma cola sem substâncias tóxicas.

“Tive acesso aos laboratórios da Universidade de São Paulo, onde realizei pesquisas e testes que resultaram na produção de adesivos e selantes isentos de compostos nocivos à saúde e ao meio ambiente”, afirma a química, que, durante os processos, teve apoio de órgãos públicos, agências de fomento e de investidores.

Wang agora busca desenvolver um produto a partir da nanotecnologia, que será usado para colar placas de blindagem. A nova solução é uma das apostas da Adespec – Adesivos Especiais, empresa criada junto com parceiros para oferecer soluções inovadoras e sustentáveis.

A engenheira dá um exemplo de sucesso profissional, já que conseguiu contornar um problema de saúde recorrente de sua profissão e criar um negócio ecológico, ilustrado no livro Empreendedorismo Inovador, organizado pelo consultor de negócios Nei Grando.

O caso de Wang é usado pelo diretor executivo do Cietec, Sergio Risola, para ilustrar sua resposta à pergunta: “Vale a pena recorrer a uma incubadora?”. O questionamento é tema de um dos 24 capítulos que compõem a publicação. Com informações do Estadão.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.