Apesar de todos os males que as embalagens plásticas podem causar ao meio ambiente às vezes seu uso é inevitável. Na praia, por exemplo, é preferível levar as tradicionais sacolas a deixar o lixo espalhado na areia. Os moradores de Recife, no Pernambuco, têm uma alternativa mais ecológica: através do Projeto “Praia Limpa, Praia Viva”, os banhistas utilizam sacolas fabricadas com matérias-primas naturais de fontes renováveis, como o amido de milho.

O projeto desenvolvido pela Globo Nordeste, em parceria com a Prefeitura do Recife, atua na praia de Boa Viagem. A distribuição de sacolas plásticas biodegradáveis garante a limpeza do local e o uso de material de coleta ecologicamente correto.

A previsão é de que sejam distribuídas 800 mil sacolinhas de lixo até o fim da iniciativa. Além disso, serão dispostas cerca de 200 dunas (sacos de lixo maiores) para agregar as sacolas utilizadas pelos barraqueiros e banhistas.

O material é distribuído por monitores treinados e identificados com o uniforme do “Praia Limpa, Praia Viva”. Durante a ação, eles também orientam o público sobre a importância de preservar o meio ambiente e manter a praia limpa.

O grupo ainda entrega pulseirinhas de identificação para crianças, ajudando na localização delas durante o passeio na praia. Apesar de ocorrer durante todo o ano, a iniciativa é intensificada nos meses de verão, período em que ocorrem mais atividades de comércio e lazer na orla. Com informações do G1.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.