O Lamu Floating é um bar flutuante localizado no canal entre Manda e as Ilhas Lamu, no Quênia. Além de ser diferente em seu formato, o bar também é sustentável e foi feito com itens reaproveitados e locais.

O que mantém a estrutura sobre as águas tranquilas de Lamu são 240 tambores plásticos, que originalmente foram usados para o transporte de glicose. O restante da estrutura é feito com materiais obtidos localmente, como a madeira de palma e cedro.

O bar existe desde 2007 e é propriedade do empresário britânico Peter Giau. A ideia levou apenas quatro meses até que se tornasse realidade e virasse uma referência local em espaço para entretenimento.

Para minimizar o impacto ambiental da estrutura e torná-la mais eficiente energeticamente, foram instalados quatro painéis solares que fornecem toda a eletricidade necessária para o funcionamento do bar. Por conta disso, o ambiente é iluminado com poucas lâmpadas e velas, assim é possível gastar energia com a música.

Os clientes que frequentam o Lamu podem ficar tranquilos quanto à segurança. O local é totalmente licenciado pelas autoridades locais e possui capacidade para abrigar até 250 pessoas. Até mesmo os mochileiros podem fazer uma parada no local, que possui quatro cabines com cama, almofadas e banheiro. Lá é possível aproveitar a bebida enquanto o barco se move por belas paisagens.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.