O projeto Trote Sustentável, da Faculdade de Medicina de Jaú da Unoeste, começou no dia 6 de fevereiro de 2020. Durante a manhã, os calouros participaram do plantio de árvores no canteiro central da Avenida João Francesch e em seguida visitaram o Horto Florestal da cidade. A atividade contou com o auxílio de docentes e da Secretaria do Meio Ambiente do município.

De acordo com Dra. Rafaela Fadoni Alponti Vendrame, uma das professoras responsáveis pelo projeto, o projeto envolve 10 ações nos próximos 30 dias e tem como objetivo implantar um modelo de acolhimento aos estudantes que seja sustentável – cuidando do meio ambiente e garantindo que os calouros não sofram nenhum tipo de humilhação e constrangimento no período de trote.

trote sustentável
Giovani Fabrício, diretor do Horto Florestal de Jaú, explica o
procedimento do plantio de árvores. Foto: Joici Bolsoni
trote sustentável
Foto: Joici Bolsoni

Integração e Sustentabilidade

A ideia surgiu tendo como base a Agenda 2030 desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em 2015. As tarefas propostas aos estudantes seguem algumas metas distribuídas entre os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) que podem ser facilmente realizadas pelos acadêmicos, mas que são extremamente relevantes.

Segundo o coordenador do curso de Medicina de Jaú e idealizador do Trote Sustentável, o médico José Oliveira Filho, “a ideia do projeto é promover a integração e o acolhimento dos novos estudantes, ao mesmo tempo em que se contribui para os 17 objetivos de sustentabilidade da ONU e um mundo melhor para todos”, explica.

Estudantes aprovam

trote sustentável
Foto: arquivo pessoal

Para a caloura Thaynara de Andrade Unruh a atividade a deu impressão de que ela estava cuidando de uma vida, sua própria árvore, assim como fará quando for médica formada. “Achei legal a ideia do Trote Sustentável, pois os estudantes além de ajudar o meio ambiente, podem fazer isso de uma maneira muito divertida e em grupo”, salienta.

Daniel Domarco Rosella, acredita que participar de um projeto que desdobra os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável em aplicações práticas será excelente para os acadêmicos. “O plantio das árvores fez o pessoal criar um elo maior com a cidade e com o meio ambiente, um gesto realmente muito bonito. A conscientização sobre o trote violento se dá de forma implícita, pois todos acabam usando o tempo e os encontros para realizar coisas pacíficas e benéficas. Farei parte sim das demais ações, pois já mostram que nosso papel é justamente exercer a cidadania e não simplesmente pegar um diploma na mão e realizar objetivos pessoais”, revela.

Próximas Ações

Além do plantio de árvores, os calouros serão convidados a participar de outras atividades como a doação de papéis para reciclagem, de material escolar para crianças de escolas públicas, de medicamentos para farmácias comunitárias e se cadastrar no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (Redome.

“Dentre as dez ações propostas pelo projeto, a primeira foi o plantio de árvores. Ela foi escolhida para dar início porque é a que demanda mais tempo dos estudantes. As outras nove vão sendo realizadas ao longo do mês e ao fim desses 30 dias, vamos todos juntos doar os materiais recolhidos para as instituições a serem escolhidas posteriormente”, explica a Dra. Rafaela.

Após plantios de árvores, os estudantes visitaram o Horto Florestal da cidade e
conheceram o trabalho desenvolvido no local. Foto: Joici Bolsoni