Distribuir ovos de chocolate para crianças carentes nesta época do ano é uma maneira simples de fazer o bem e combater o consumismo, mau hábito que acomete muitas pessoas na páscoa. Assim, vale a pena investir na caridade sustentável, realizada com bastante organização e sem gastar muito dinheiro.

Se, por um lado, a páscoa é uma das datas que mais impulsiona o consumismo entre os brasileiros, por outro, muitos pais ainda não conseguem comprar os ovos para seus filhos. A doação de chocolates na páscoa é uma das melhores maneiras de reduzir não só o consumo exagerado, mas também alguns traumas que podem ser causados pelas disparidades sociais.

Para deixar a iniciativa de voluntariado mais divertida, uma boa dica é reunir um grupo de amigos dispostos a fazer o bem pelos necessitados. Assim, além de ficar mais fácil para dividir os gastos, aumenta a socialização, deixando a experiência de caridade ainda mais descontraída.

No supermercado, seja consciente na hora de escolher os chocolates: os ovos de times de futebol e os que trazem brinquedos e acessórios são os mais caros, por outro lado, lideram a lista de favoritos das crianças. Se o grupo de voluntários decidir entregar os ovos com brindes, o ideal é que todos recebam o mesmo tipo de doação, para que nenhuma criança fique em desvantagem.

Quem está acostumado a se alimentar de maneira sustentável, distribuir ovos de páscoa caseiros é uma boa ideia. Assim, você dispensa as emissões de carbono emitidas em todas as etapas da indústria de chocolates, inclusive no transporte e na embalagem. “Fique atento às embalagens, à data de validade e conheça o produto que você está comprando”, diz Tania Luisa, que faz ovos de páscoa em casa há dez anos.

Como alternativa sustentável, você também pode passar para frente o chocolate excedente em casa. Às vezes, doar um ovo de páscoa que está sobrando na cesta é uma maneira eficaz de se livrar do consumo exagerado e ainda evitar um possível desperdício.

Organize também a entrega dos chocolates: se você deseja fazer as doações para um abrigo, creche ou ONG, conheça o local antes e fique de olho na disponibilidade de datas e horários. No entanto, você também pode sair por aí distribuindo ovos para crianças em situação de rua – o importante é não deixar de lutar por um mundo mais justo.

Por Gabriel Felix – Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.