Localizado na zona oeste de São Paulo, o Aro 27 Bike Café é um estabelecimento que tem por objetivo não só atender aos ciclistas, mas também incentivar os paulistanos a adotarem as bicicletas como meio de transporte. Situado a 50 metros da estação Pinheiros, o local é uma mistura de oficina e loja de acessórios para bikes com bar e restaurante, que, entre refeições e bebidas, também oferece estacionamento e duchas para os ciclistas.

O crescimento do transporte alternativo em São Paulo foi um dos principais fatores que impulsionaram a criação do estabelecimento, que disponibiliza aos clientes diversos serviços importantes, ainda raros na cidade. “Com estacionamento e chuveiro, damos oportunidade de as pessoas chegarem impecáveis ao trabalho, e, ainda, durante o dia, ficarem tranquilas quanto à segurança das suas bikes”, explicou ao CicloVivo Fábio Samori, proprietário do Aro 27. As duchas instaladas no estabelecimento funcionam com energia solar, e 80% da iluminação vem de lâmpadas LED.

O estabelecimento também reproduz uma atmosfera envolvente para fazer com que mais pessoas adotem as bikes como meio de transporte. “Como estamos numa área de muitos escritórios, no horário do almoço a casa fica lotada, principalmente por um público que ainda não pedala”, revela Samori. Em contrapartida, o espaço conta com um acervo, com diversas publicações que abordam as bicicletas. “Estamos plantando ‘ciclo sementes’”, completa.

Para os clientes que já pedalam, o Aro 27 vem se tornando ponto de referência na cidade. Enquanto esperam suas bikes saírem do conserto, revezam o tempo entre refeições e conversas com outros ciclistas. Além disso, o local comercializa acessórios e equipamentos que dificilmente são encontrados nas bicicletarias convencionais da cidade. “Toda a equipe que trabalha no Aro é envolvida com bike. Respiramos isso. Assim, o Aro é um espaço para se encontrar, para comer, para ter como ponto de apoio”, explica Samori.

Disputando espaço com outros nomes dos negócios das bicicletas em São Paulo – como Tag and Juice e Las Magrelas – o Aro 27 é um notório exemplo do mercado que se fortalece com os novos padrões de mobilidade urbana. No estabelecimento, a política é garantir aos clientes (ciclistas ou não) uma nova proposta de negócio, em que o atendimento e a necessidade do cliente são mais importantes do que o lucro. “A bicicleta deve ser encarada como parte da resolução dos problemas de mobilidade das cidades. Quem acreditar nisso e apostar na bicicleta agora, certamente estará investindo em algo rentável e positivo para o planeta e às pessoas”, finaliza o empreendedor.

Por Gabriel Felix – Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.