Holandeses chegam em Curitiba para nova fase do acordo de ciclomobilidade. Curitiba, 06/04/2016 - Foto: Valdecir Galor/SMCS
- Publicidade -

A pesquisadora Maya Van der Berg, do Instituto de Inovação e Governança (IGS) da Universidade de Twente, na Holanda, desembarcou em Curitiba (Paraná) esta semana, acompanhada de Paul Schilte, o primeiro dos três estudantes da instituição que passarão 90 dias na Coordenação de Mobilidade Urbana da Secretaria Municipal de Trânsito. O grupo fará uma pesquisa sobre a rede cicloviária da cidade e estudará a possibilidade de utilizar na capital paranaense soluções aplicadas em outras cidades do mundo.  A chegada dos pesquisadores  marca o início de uma nova fase no acordo de ciclomobilidade assinado em 2015 por Curitiba e Holanda.

Além da Prefeitura e da universidade holandesa, o acordo envolve universidades de Curitiba, o Instituto Brasileiro de Qualidade e Produtividade (IBPQ) e a CicloIguaçu – Associação de Ciclistas do Alto Iguaçu. A intenção do projeto conjunto, que tem previsão de duração de cinco anos, é aumentar o potencial de ciclomobilidade em Curitiba por meio da troca de experiências e da realização de projetos inovadores nas áreas de arquitetura, planejamento urbano e design, consolidando a bicicleta como opção de mobilidade segura e abrangente na cidade.

“O trabalho está sendo realizado desde a assinatura do acordo, com diversas reuniões com a participação dos técnicos da prefeitura, professores das universidades e representantes dos demais parceiros do projeto”, diz a secretária municipal de Trânsito, Luiza Simonelli. “As reuniões desta semana foram as primeiras com os holandeses em Curitiba, nas quais definimos os próximos passos do projeto, as metodologias integradas de pesquisas, a montagem de uma plataforma de dados, além das primeiras ações na área de engenharia e educação no trânsito.”

- Publicidade -

A representante da Heijmans Technology destacou que a empresa – que faz ações ligadas a implantação e melhorias de estruturas cicloviárias, como sistemas de segurança específico para o trânsito de bicicletas – tem interesse e desenvolver um projeto-piloto em Curitiba.

“Vamos enviar mais estudantes e também professores para a cidade, pois muitas pessoas da nossa universidade se interessaram pelo acordo. E esperamos que Curitiba também envie, em breve, técnicos, professores e estudantes para a Holanda. A cidade também deve nos trazer sua visão sobre ciclomobilidade, pois este intercâmbio deve ser uma via de mão dupla”, diz Maya.

Nas reuniões realizadas, os representantes da universidade holandesa ainda detalharam um cronograma de trabalho que destaca a conexão entre os projetos de smart cities de Curitiba e da Holanda; a realização de grupos de estudos de engenharia, planejamento e sociedade para implantação de projetos de ciclomobilidade na capital; e a realização de pesquisas conjuntas com a Prefeitura e universidades locais.

As universidades de Curitiba participantes do acordo – Universidade Federal do Paraná (UFPR), Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR), Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR) e Universidade Positivo (UP) – fizeram apresentações com temas, projetos e propostas que já estão sendo trabalhados por elas em Curitiba, como a interligação cicloviária entre os campis das instituições.

Representantes da Setran, Urbanização de Curitiba S/A (Urbs) e Instituto de Pesquisa de Planejamento de Curitiba (Ippuc) ainda destacaram os projetos da cidade em ciclomobilidade.

As informações são da Prefeitura de Curitiba.

- Publicidade -