A cidade de Curitiba realizará testes de ônibus movidos a gás veicular natural e biometano, que é um combustível derivado da decomposição de resíduos orgânicos. Os modelos de ônibus são da indústria Scania, que, inclusive, foi convidada a instalar na capital paranaense uma fábrica de ecomotores.

Para Silvio Munhoz, um dos diretores da companhia, a maior vantagem do uso do gás natural na frota do transporte coletivo é contribuir para a redução da poluição. “Esse tipo de combustível emite entre 70% e 85% menos material particulado no ar comparado ao diesel comum”, disse.

Apesar de não muito utilizado, o uso de biometano no transporte público não é novo. Ainda em 2016, o CicloVivo falou dos planos de Entre Rios do Oeste, outra cidade no Paraná, de aproveitar os resíduos da produção de porcos e aves para gerar energia limpa. Já uma cidade britânica produz gás com as fezes dos moradores, veja mais sobre essa história. Outro destaque ficou por conta de Fortaleza, que, em 2018, inaugurou a maior usina de produção de biogás com lixo de aterro.

Casos como este mostram que a iniciativa no sul do país tem grandes chances de dar certo. Aliás, os testes no sistema de transporte coletivo de Curitiba deverão começar ainda neste mês de março.