- Publicidade -

A empresa paulista Tilégo desenvolveu um tijolo ecologicamente correto. A principal diferença deste, para os modelos tradicionais de tijolos, é a sua fabricação, que não utiliza queima em forno à lenha. O seu formato também é inovador e minimiza os gastos com reparos e acabamentos.

O produto, classificado como ecológico e inteligente, é feito através de uma mistura prensada de terra, cimento, areia e aditivos. Por causa do seu modo de fabricação, o tijolo causa menos prejuízos ao meio ambiente, já que não é necessário queimá-lo. Além disso, o formato proporciona uma alvenaria uniforme e dispensa a o uso de material para reboco.

Os tijolos possuem dois furos na horizontal e na vertical, que abrem canais para facilitar a passagem das redes elétrica e hidráulica, dentro da própria parede. Através dessa tecnologia o meio ambiente é menos afetado e os gastos com consumo são minimizados, barateando a construção.

- Publicidade -

A empresa localizada no interior de São Paulo tem trabalhado na estruturação ideal do tijolo ecológico há 15 anos. “Desde 1995 trabalhamos na melhoria da qualidade do tijolo modular ecológico e inteligente, até chegamos a um produto bonito, prático e resistente, tornando mais flexível e prático o assentamento. Um novo conceito de tijolo modular”, diz a divulgação da empresa.

Para usar o tijolo ecológico não é necessário mão de obra especializada e a própria empresa fabricante oferece treinamento, sem custo adicional. Segundo informações da Tilégo, os custos de uma obra feita com os tijolos econômicos são de 20% a 30% menores que os de uma obra convencional.

Redação CicloVivo

- Publicidade -