Inspirado em um caracol, o arquiteto mexicano Javier Senosiain elaborou o projeto de uma casa em formato de concha em espiral na Cidade do México. Ele é adepto da bioarquitetura: um tipo de construção que tem como base a harmonia com a natureza e o uso de técnicas construtivas sustentáveis.

Batizada de Nautilus, a residência possui todos os cômodos de uma casa comum, como quarto, sala de estar, sala de jantar, cozinha e banheiro. Porém, todas as divisões são ligadas por uma escada em espiral.

Essa escada foi construída logo na entrada, logo depois se vê um largo corredor ocupado por plantas, que recebe grande iluminação natural do reflexo de vitrais. Essa composição de formas, cores e luzes é inspirada nas ideias do arquiteto Antonio Gaudi.

Nada na casa é paralelo, pois a intenção de Senosiain era dar a sensação de uma experiência a três dimensões. Um ambiente tranquilo, mas dominado pelas formas curvas. Um aspecto interessante é que a sala de estar emerge desde o interior do jardim e uma mesa de jantar é “puxada” da própria parede.

Em outro piso, há uma sala de estar e uma sala de estudo com vista para as montanhas. Em uma área mais reservada estão os quartos, closets, banheiro e cozinha. “O meu objetivo era que as pessoas imaginassem estarem vivendo igual a um caracol, andando de divisão em divisão”, afirma o arquiteto.

A residência foi construída com uma forte estrutura (o que dispensa grandes manutenções) e oferece uma boa resistência a tremores de terra. Resistência, proteção, abrigo, são algumas características da casa.

O sistema de ventilação permite que a temperatura ambiente seja adequada a cada estação do ano. Apesar da Cidade do México ter vários edifícios, a Nautilus está rodeada de um enorme espaço verde e com uma privilegiada vista para as montanhas.

Tudo na casa é tão inusitado, que parece impossível imaginar que ela existe de fato. Mas, ela não só existe como é habitada por um casal e seus dois filhos.

“Para mim, a natureza é a maior fonte de inspiração. Respeitar a natureza consiste em observá-la, extrair sua essência, seus princípios; em interpretá-la e não copiá-la”, explica Senosiain. Com informações de Obvious Mag e Recriar com você.

Redação CicloVivo

 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.