O começo do ano é conhecido por ser muito quente e apresentar muitas instabilidades, as famosas “chuvas de verão”. O guarda-chuva, capaz de proteger contra a chuva e o sol forte, se torna um acessório importante.

O comércio deste item cresce e muitas pessoas acabam comprando na pressa produtos de qualidade ruim que quebram após serem usado algumas vezes – levando ao desperdício de recursos e geração de resíduos.

Outra alternativa é carregar sempre um guarda-chuva, o que acaba sendo incomodo quando o item não é necessário.

Compartilhar ao invés de comprar

Uma solução para este problema é o serviço de compartilhamento de guarda-chuvas. Uma parceria entre a Central Nacional Unimed e a Rentbrella disponibiliza na cidade de São Paulo 350 pontos em que é possível retirar acessório gratuitamente nas primeiras 24 horas de uso. Depois de usar, é necessário devolver o produto em qualquer outra estação.

Os guarda-chuvas oferecidos contam com o filtro UVA e UVB e podem retirados por quem passa pelas regiões da Avenida Paulista, Vila Olímpia, Berrini e Faria Lima, onde estão as estações de compartilhamento de guarda-chuvas.

Foto: Divulgação

“Esses locais contam com muitos prédios comerciais e há um grande número de pessoas caminhando pelas ruas nos horários em que o sol está muito forte. Nosso objetivo é ajudar o usuário tanto na chuva quanto no sol”, explica Nathan Janovich, CEO e fundador da Rentbrella.

Para retirar encontrar as estações e retirar guarda-chuvas é necessário instalar um aplicativo no celular. Outras informações sobre o serviço de compartilhamento de guarda-chuvas estão no site da empresa.