As férias escolares terminaram e para muitas crianças isso é sinônimo de animação, de voltar a encontrar amigos e curtir o ambiente escolar. Mas algumas crianças mostram dificuldades em lidar com este momento.

A psicopedagoga curitibana Flavia Maoski, da Clínica de Terapia Cognitiva AMI, dá dicas para ajudar os pais neste momento de adaptação dos filhos.

Conversar é fundamental

Antes de tudo, é preciso descobrir a causa da resistência. “Não querer retomar as atividades na escola pode ser uma recusa natural e passageira, afinal, quem gosta de voltar de férias? Mas, pode indicar também uma mudança na rotina escolar que causou este incômodo”, alerta a psicopedagoga.

Isso pode ser causado por uma troca de professor, de turma, de escola ou até mesmo por ameaças de bullying. “O diálogo com a criança, professores e demais envolvidos na instituição é fundamental para entender o motivo pelo qual a criança está sofrendo”, diz.

Manter o envolvimento

Envolver as crianças nos preparativos de volta às aulas é uma maneira agradável de acostumá-las com a ideia. “Se precisar comprar material escolar, convide seu filho para ir junto e peça ajuda para escolher os itens que mais combinam com ele”, recomenda Flávia.

“Faça-o provar o uniforme antigo de uma forma bacana, mostrando como seu filho já cresceu, relembrando tudo de bom que passou na escola e deixando claro que este ano será ainda melhor”. Isso motiva os pequenos e ajuda no preparo emocional.

Tempo para brincar

Para uma criança, tempo livre significa ter tempo para brincar e fazer coisas divertidas, além das atividades rotineiras. E brincar é indispensável para o desenvolvimento social e cognitivo dos pequenos. “A criança precisa de tempo para brincadeiras, por isso não sobrecarregue seu filho com atividades extracurriculares em todos os dias da semana. A falta de tempo livre pode ser uma das principais causas do sofrimento na hora de retomar as aulas”.

A importância dos amigos

Algumas crianças só se empolgam com a volta às aulas por causa dos colegas. Relembre a importância deles no dia a dia do seu filho e ajude a fazer uma lista de novidades que podem ser compartilhadas com os amigos. “A criança vai ficar ansiosa para ir à escola encontrar os amigos e conversar sobre as coisas que aconteceram durante o período de férias”, recomenda Flávia. 

A boa escola

Estimule o assunto em casa como algo positivo. A volta às aulas pode ganhar outro significado quando é tratada de maneira leve, ressaltando todas as vantagens de ir à escola. “Encontrar os amigos, fazer novos colegas, conhecer os novos professores, ganhar mais autonomia e adquirir novos conhecimentos são alguns benefícios das aulas que podem ajudar a criança a ficar menos preocupada”.  

É importante que os pais demonstrem alegria sempre que tocarem no assunto da volta às aulas. “A escola deve remeter a sentimentos positivos, isso é capaz de animar até as crianças mais tímidas”, conta a psicopedagoga.

Vá com calma

“Vá com calma, quanto mais velha a criança, mais difícil é a adaptação. Promova o retorno às aulas gradualmente, respeitando o tempo do seu filho”, finaliza.

Sinais de alerta

Se a criança estiver muito ansiosa e se ocorrerem mudanças de comportamento exageradas, vale procurar ajuda de um profissional ou de uma clínica especializada, pois pode haver algo mais sério por trás da resistência. Uma conversa com a professora ou equipe pedagógica também é bem vinda.