livros preservação ambiental
Foto: Max Goncharov | Unsplash
- Publicidade -

Os impactos negativos da exploração da natureza já comprometem, hoje, a saúde do planeta e de todos que nele vivem. Conscientização individual e coletiva, políticas públicas e práticas educativas são apontados como os caminhos para a mudança do cenário.

Em junho, essa pauta entra em evidência pois teremos três datas comemorativas: Na primeira semana, comemora-se a Semana do Meio Ambiente, que engloba o Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado no dia 5, e o Dia Nacional da Educação Ambiental, celebrado no dia 3.

Todos os anos, as escolas promovem diversas ações com as crianças e a comunidade escolar para ensinar e reforçar práticas de ecossustentabilidade, reciclagem doméstica, plantio de mudas de árvores e limpeza de hortas, parques e jardim, entre outras iniciativas.

- Publicidade -

Um dos caminhos para mostrar a importância da preservação ambiental é a literatura infantil, que, por meio dos livros, levanta reflexões sobre como o modo de lidar com a natureza impacta na qualidade de vida e sobrevivência das espécies. Por meio das histórias, com personagens do universo infantil, essa compreensão é absorvida de forma mais empática e lúdica.

Confira 10 livros já entregues para os assinantes do Clube Quindim que falam sobre esse tema:

Gente, bicho, planta: o mundo me encanta, de Ana Maria Machado e Mauricio Negro, editora Global

Ana Maria Machado conta alegoricamente como a natureza se formou, numa briga da terra com ar, e alerta para os desequilíbrios que o homem provoca. Traz também outras histórias de pessoas que lutam para entender e auxiliar a vida no mundo.
Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Boniteza silvestre, de Lalau e Laurabeatriz, editora Peirópolis

A maneira que o ser humano explora os recursos naturais e o tráfico de animais ameaçam a existência de algumas espécies. Neste livro, há 11 bicho-poemas sobre animais ameaçados pela ação humana. A partir da poesia e da aquarela, há o encantamento com os animais e uma maior consciência ambiental. Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Estranhas criaturas, de Cristóbal León e Cristina Sitja Rubio, editora WMF Martins Fontes

O livro nos convida à reflexão, nua, crua e quase matemática: ao cortar uma árvore, um animal perde sua casa. Quantos animais perderam suas casas para que tivéssemos a nossa? Colocando na balança a nossa aparente superioridade frente aos animais, podemos nos perguntar se somos mesmo mais importantes e por quê. O diálogo entre homens e bichos só acontece quando os primeiros sentem na pele o que os animais viveram, levando à conscientização e à transformação. Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

A mancha, de Guilherme Gontijo Flores e Daniel Kondo, editora FTD

Com a beleza das coisas estranhas, sinistras, os versos e as imagens revelam o desastre ambiental sobre todas as coisas que se transformam em um triste lixo, depositado nas areias, nos seixos, aos pés de quem vai à praia. Há pessoas que se esforçam para conter a sujidade, num trabalho que parece em vão ou tardio, enquanto muitas outras fecham os olhos. A mancha insistentemente, inquebrável, avança muito mais rapidamente… Por quê? Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Como mudar o mundo?, de Stela Barbieri e Fernando Vilela, editora FTD

Os belos contos deste livro foram inspirados nos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio, propostos pela ONU, em 2000, e que ainda hoje continuam sendo desafios para toda a humanidade. Uma obra emocionante que nos ajuda a pensar em caminhos para a construção de um mundo mais empático e sustentável nas relações com a natureza e os seres. Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

O monstro Papapalmeiras, de Dipacho, editora Cai-cai

Detrás da máscara da comédia, está o rosto da crítica satírica a diversas situações de exploração imposta pelo colonialismo e pela degradação do meio ambiente, em especial nos países latino-americanos e caribenhos que necessitam pensar e manter o equilíbrio da área verde e a variação das chuvas frente ao desenvolvimento. Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Cadê os bichos?, de Cris Eich, editora Bamboozinho

Com seis animas típicos da fauna brasileira, o livro traz uma mensagem importante aos leitores pequenos: sem respeito às árvores, os biomas brasileiros serão destruídos e os animais destituídos de suas moradias. E nós, que responsabilidades podemos assumir sobre todo o crescente processo de destruição da vida? Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

A perigosa vida dos passarinhos pequenos, de Míriam Leitão e Rubens Matuck

Este livro da escritora e jornalista Míriam Leitão é baseado em fatos. Inventada para seus netos a partir da sua paixão pela fauna e flora que conserva em sua fazenda localizada em Minas Gerais, a obra relata os perigos que os pássaros correm com a ausência de árvores. Não há lugar seguro para seus ninhos e pequeninos. Reunidos, eles buscam uma estratégia para convencer humanos a aumentar a mata. Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Leve, de Sandra Dieckmann, editora V&R

Os animais viviam tranquilamente em seu habitat, até que o urso branco chegou, trazido pelo mar. Era grande, pesado, assustador e ninguém o queria ali. Mas por que ele chegou ali? Logo os outros animais descobrem que o urso, que o leitor pode reconhecer como um urso polar, perdeu sua família e seu lar quando a geleira em que morava derreteu. Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Um dia, um rio, de Leo Cunha e André Neves, editora Pulo do Gato

Um poema dedicado ao Rio Doce e às vítimas da tragédia que derramou uma enxurrada de lama em seu leito, provocando um imenso impacto humano e ambiental em Mariana (MG). Uma denúncia em versos e imagens emocionantes. Para saber mais sobre o livro, clique aqui.

Clube Quindim

O Clube de Leitura Quindim é um clube de assinatura de livros infantis. Já são mais de 15 mil crianças de todos os estados brasileiros, chegando a 1500 cidades e entregando mais de 200 mil exemplares de livros transformadores que desenvolvem não apenas o autoconhecimento, o pensamento crítico e autônomo, mas também aquilo que nos faz mais humanos: o afeto e a empatia. Saiba mais no site.

LEIA TAMBÉM

- Publicidade -