A publicidade da chamada “junk food” será proibida em toda a rede Transport for London (TfL) a partir de 25 de fevereiro para ajudar a combater a obesidade infantil. A proposta, anunciada no início do ano, foi confirmada pelo prefeito de Londres, Sadiq Khan.

A decisão segue uma consulta pública lançada em maio e apoiada pelos londrinos. Não serão mais aceitos os anúncios de alimentos e bebidas não alcoólicas com alto teor de gordura, sal e/ou açúcar e considerados “menos saudáveis”. Bebidas açucaradas, cheeseburgers e barras de chocolate se enquadram na proibição.

Marcas de alimentos e bebidas, restaurantes e serviços de entrega só poderão colocar anúncios que promovam seus produtos mais saudáveis, em vez de simplesmente divulgar as marcas.

Obesidade em Londres

Londres tem uma das maiores taxas de sobrepeso e obesidade infantil na Europa, com quase 40% das crianças da capital com 10 e 11 anos de idade com sobrepeso ou obesidade. Crianças de áreas mais carentes da capital são desproporcionalmente afetadas, em comparação a áreas mais privilegiadas. Esta semana, novos números revelaram um enorme aumento no número de crianças e adolescentes diagnosticados com diabetes tipo 2. Quase sete mil jovens britânicos estão sofrendo com a doença, ligada à obesidade.

A ideia expor menos crianças à publicidade de alimentos menos saudáveis. Um relatório publicado no início deste ano por um instituto de pesquisa do câncer do Reino Unido afirma que os jovens que se lembravam de ver anúncios de junk food todos os dias tinham duas vezes mais chances de serem obesos. O mesmo estudo descobriu que 87% dos jovens consideravam atraentes os anúncios de produtos com alto teor de gordura, sal e açúcar, com três quartos tentados a comer um produto depois de ver um anúncio desse tipo.

A proposta de proibição é parte do projeto de Estratégia Alimentar de Londres. Ou seja, há uma iniciativa mais ampla para combater a obesidade infantil. O compromisso está em reduzir pela metade a porcentagem de crianças com sobrepeso até 2030 e reduzir a diferença entre as taxas de obesidade infantil nas áreas mais ricas e pobres da capital da Inglaterra.