Uma série de protestos intitulados Fridays for Future têm gerado greves de estudantes que exigem ações governamentais para conter as mudanças climáticas. O movimento tem como inspiração Greta Thunberg, uma jovem sueca e ativista, de apenas 16 anos, que acaba de ser indicada ao Nobel da Paz.

Há um mês o CicloVivo noticiou um destes eventos, que englobou mais de 60 cidades pelo mundo. Os protestos tomaram ainda mais forma e nesta sexta-feira (15) estima-se que jovens de mais de 100 países estejam nas ruas engrossando o coro. Inclusive, ao contrário de um mês atrás, estão previstos atos em seis estados brasileiros.

Tudo começou quando, em agosto de 2018, uma série de ondas de calor e incêndios na Suécia preocupou a população. Em 9 de setembro ocorreria as eleições legislativas e duas semanas antes, todos os dias, chegava a jovem estudante Greta para acampar no local e distribuir panfletos. A ação não parou por aí e logo ela começou a mobilizar outras pessoas até ganhar relevância internacional.

O protesto que acontece hoje é o primeiro globalmente organizado. Ele vai além de uma reivindicação local e ganha contornos maiores quando milhares de estudantes de todo o planeta clamam por medidas imediatas em prol de um futuro possível. Não à toa, Greta foi indicada ao Nobel da Paz de 2019. “Nós nomeamos Greta porque a mudança climática, se não for barrada, será a principal causa das guerras, dos conflitos e do fluxo de refugiados futuros”, afirmou o deputado Freddy Andre Oevstegaard.

Abaixo fotos dos protestos que acontecem neste momento por todo o globo:

Em Florianópolis