A empresa de meteorologia Climatempo realizou uma série de vídeos sobre a crise hídrica. Um dos conteúdos aborda o aumento da procura por empresas que perfuram poços artesianos, em especial pela população da Grande São Paulo.

O acréscimo de cerca de 30% da busca por tais empresas é uma das explicações para o nível dos lençóis freáticos ter baixado nos últimos meses. Isso porque é um recurso finito e assim como as represas também pode se esgotar. Não se pode abrir poços e consumir a água sem autorização. No caso do estado de São Paulo, isso é regulamentado pelo DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica).

Os poços clandestinos também são motivo de preocupação devido à contaminação das águas. De acordo com levantamento da Sabesp, há quase cinco mil áreas do estado  onde a água subterrânea pode estar contaminada.

Quem explica como funciona o processo e risco de captação de água subterrânea é o especialista Flávio Salles, doutor em hidrogeologia e sócio da consultoria PAR ambiente:

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.