Desde o dia 2 de janeiro de 2020, papéis térmicos com uma concentração de BPA (Bisfenol A) igual ou superior a 0,02% estão proibidos de serem comercializados nos países da União Europeia, que está banindo o seu uso. Papéis térmicos são aqueles usados para recibos e notas fiscais de máquinas de cartão e comércio em geral, além de impressão de extratos e outras transações bancárias.

A decisão partiu de um comitê internacional em 2016 e o prazo estabelecido para que o comércio deixasse de usar o material foi janeiro de 2020. A partir de agora, todos devem usar apenas papéis térmicos livres de BPA.

BPA

BPA é um componente barato e de fácil acesso usado em larga escala em diversos produtos. É uma substância química orgânica presente em resinas, preparadores de impressão em papeis térmicos e diversos tipos de plástico.

Quando absorvido pelo corpo humano, o componente pode interferir no sistema endócrino, comprometendo o equilíbrio e a produção de hormônios. A preocupação é que a exposição frequente ao BPA pode trazer impactos negativos para a saúde, entre eles problemas reprodutivos.

O BPA também traz impactos ambientais negativos e não é totalmente biodegradável, o que pode levar ao acumulo do componente na cadeia alimentar e cursos de água.

Substitutos seguros

O BPA normalmente é substituído pelo Bisfenol S (BPS), cujo impacto está sendo estudado pela Agência Química Europeia (European Chemicals Agency – ECHA). Como os dois componentes têm uma estrutura química similar, é possível que os riscos também sejam semelhantes. A Suíça foi o primeiro país na Europa a proibir as duas substâncias, BPA e BPS, nos papéis térmicos.

Algumas alternativas livres de bisfenol e de reações químicas já foram desenvolvidas por fornecedores papel para máquinas de cartão e recibos na Europa. Estas alternativas devem ser usadas nos países da União Europeia para garantir a segurança de funcionários, consumidores e do meio ambiente.

No Brasil

No Brasil não existe esta restrição ao uso do BPA nos papéis térmicos, mas é possível adotar algumas medidas, independente da regulamentação.

Donos empresas podem optar pela emissão de notas fiscais e recibos eletrônicos, enviados por e-mail para os consumidores.

Profissionais que trabalham em contato direto com papéis térmicos, podem sugerir a mudança para recibos eletrônicos aos seus empregadores e também optar pelo uso de luvas durante o manuseio de recibos e notas fiscais em papéis térmicos.

Consumidores podem abrir mão da sua via da impressão dos pagamentos em cartão e, sempre que possível, pedir que os recibos e notas fiscais sejam enviados eletronicamente.