- Publicidade -

Ao chegar a Pirapora do Bom Jesus, o Rio Tietê se transforma em um mar de espumas. O fenômeno acontece por causa do esgoto doméstico e dos resíduos industriais presentes na água, que se misturam ao chegarem à barragem e caírem de uma altura de 25 metros.

Há 27 anos o local é palco para esse triste espetáculo. Tudo começou com a decisão governamental de impedir o Rio Tietê de ser bombeado para o Rio Pinheiros e depois para a Represa Billings. A baixa umidade do ar serve para piorar ainda mais a situação do rio na entrada de Pirapora.

Os resíduos que poluem a água e formam as espumas também queimam gramados, sujam roupas e mancham carros. Isso acontece porque a força dos ventos espalha a poluição por diversas partes da cidade. Os moradores já se acostumaram com essa situação, mas não negam que ela incomoda demais, sem contar com o cheiro da poluição que é muito ruim.

- Publicidade -

Diante dessa situação a Secretaria de Estado de Saneamento e Energia disse que a situação do rio permanece igual e não houve alteração no volume de espuma na região de Pirapora do Bom Jesus. A informação é de que a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) monitora constantemente as águas da região através de um sistema que ajuda a dissipar as espumas em determinados pontos.

Com informações do Estadão

- Publicidade -