- Publicidade -

A Sabesp assinou, na última quinta-feira (14), em Tóquio, Japão, um empréstimo de cerca de US$ 63 milhões com a Jica – Japan International Cooperation Agency (Agência de Cooperação Internacional do Japão) para o Programa Integrado de Melhoria Ambiental na Área de Manancial da Represa Billings, o Pró-Billings. Na mesma ocasião, foi negociada a liberação da segunda etapa do empréstimo da Jica para o Programa Onda Limpa da Região Metropolitana da Baixada Santista, no valor de US$ 200 milhões, e de verba para o Programa de Redução de Perdas da Sabesp, de cerca de US$ 366 milhões, com previsão de início em 2011.

O empréstimo para o Pró-Billings, de 6,2 bilhões de yenes, foi aprovado pelo Senado em agosto passado. O investimento japonês soma-se à contrapartida de igual valor da Sabesp. O programa prevê que, até 2015, todos os esgotos coletados na bacia da Billings, em São Bernardo, sejam encaminhados para a ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) ABC.

A iniciativa vai beneficiar diretamente 250 mil moradores do município. Indiretamente, as ações abrangem 5 milhões de moradores da Grande São Paulo abastecidos com as águas do reservatório, já que impactam na melhoria da qualidade da água do manancial e de áreas degradadas. Serão construídos 100 km de rede coletora, 30 km de coletores-tronco e 72 estações elevatórias. As obras terão início em janeiro de 2011 e devem ser concluídas em 2015.

- Publicidade -

A Billings também vem sendo favorecida pelo programa Vida Nova – Recuperação de Mananciais. O projeto tem investimento de R$ 1,3 bilhão e irá beneficiar os principais mananciais da Grande São Paulo. As ações se concentram no aumento da coleta de esgoto, urbanização de favelas e remoção de moradias em áreas de preservação permanente. O Governo do Estado também investe no Programa Mananciais Alto Tietê, um subprograma do Mananciais Vida Nova, que tem a represa Billings entre as áreas de intervenção. As ações previstas são estruturação e recuperação urbana, preservação e recuperação ambiental e saneamento ambiental – este último a cargo da Sabesp.

O Projeto Tietê também beneficia a represa Billings, com a entrada em operação do Sistema de Interceptação Pinheiros, que recolhe o esgoto da região dos mananciais e transporta até a ETE Barueri. Foram construídos 28 km de interceptores à margem do rio Pinheiros, 330 km de redes coletoras na Billings, 62 km de coletores-tronco (20 km na Billings e 42 km no rio Pinheiros) e duas novas estações elevatórias, além da ampliação da estação elevatória Pinheiros.

Especificamente na margem direita da Billings, a Sabesp entregou uma série de obras pela 2ª etapa do Projeto Tietê. Mais de 35 mil habitantes foram diretamente beneficiados com a inauguração de dez estações elevatórias de esgoto, implantação de 98 km de rede coletora e execução de mais de 7.100 ligações domiciliares, possibilitando que 83 litros de esgoto por segundo deixassem de ser despejados na represa. Já na primeira fase, a região havia sido favorecida com a construção de 226 km de redes coletoras.

- Publicidade -