A aparição de uma espécie de água-viva australiana no litoral paulista tem deixado os cientistas em estado de alerta. A medusa Phyllorhiza puncata foi encontrada por pescadores na praia de Itaguá, em Ubatuba, litoral norte do estado.

Apesar de ser endêmica do Oceano Pacífico e bastante comum na Austrália, esta não é a primeira vez que a espécie é identificada nas Américas. O último registro feito na costa brasileira marca a aparição em 2006 e no Golfo do México, EUA, a água-viva causou estragos em 2000.

A principal preocupação dos pesquisadores é o impacto que a medusa pode causar às espécies locais. “Toda espécie exótica causa preocupação. A introdução da espécie inspira cuidados e pode causar problemas ao ecossistema. Ela se alimenta de zooplâncton, ovos e larvas de espécies de peixes nativos, e é considerada invasiva na costa brasileira. O problema é a proliferação massiva”, explica o oceanógrafo Hugo Gallo, em declaração ao G1.

O especialista ainda explicou que, o mais provável, é que a medusa tenha chegado ao Brasil por conta dos navios, que utilizam a água de lastro para manter a estabilidade da embarcação. Por conta disso, Gallo lembra que os órgãos ambientais devem estar mais atentos, principalmente em consequência da abertura do porto de São Sebastião, que deve colaborar para um aumento na quantidade de navios na região.  

As medusas coletadas foram levadas ao Aquário de Ubatuba e serão analisadas por cientistas, para terem seus hábitos e desenvolvimento acompanhados e estudados. Com informações do Globo Natureza.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.