- Publicidade -

A última quinta-feira (28) foi marcada por protestos ocorridos simultaneamente em cinco cidades brasileiras contra a alteração no Código Florestal, sugerida pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB – SP). As manifestações foram idealizadas pelas ONGs ambientais: SOS Mata Atlântica, WWF Brasil e Instituto Socioambiental.

Somente na capital paranaense, Curitiba, estiveram presentes 500 manifestantes, equipados com faixas e outros acessórios com mensagens contra as propostas contidas no projeto de mudança do atual Código Florestal Brasileiro. No Rio de Janeiro, cerca de cem ambientalistas se colocaram nas escadas do prédio da Assembleia Legislativa (Alerj), com o apoio do ex-ministro do Meio Ambiente Carlos Minc, desde as 10h. Os protestos também foram realizados em Piracicaba, Fortaleza e Volta Redonda.

Desde que a proposta de Aldo Rebelo foi anunciada, o tema gera polêmica, reivindicações e causou discordância até mesmo entre os representantes do próprio governo, que ainda não conseguiram chegar a um acordo definitivo para que a proposta seja votada.

- Publicidade -

Alguns dos temas mais preocupantes na nova sugestão estão relacionados ao tamanho das Áreas de Preservação Permanente (APPs), que podem ser reduzidas, e à Anistia que eventualmente seja dada aos agricultores que desmataram áreas em uma propriedade rural de até 400 hectares.

Segundo o ex-ministro Carlos Minc, a atual ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira garantiu que esses dois pontos importantes do Código Florestal serão vetados, não sofrendo alterações em relação à legislação atual. Com informações do Estadão.

Redação CicloVivo

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter

- Publicidade -