Movimento une mulheres em defesa do oceano

Liga das Mulheres pelo Oceano conta com uma rede de mais de 1,7 mil mulheres em defesa da vida marinha

Em 2020, nos preparamos para entrar na Década do Oceano. Infelizmente, os desafios para a proteção da vida marinha se tornam cada vez maiores.

Estima-se que em 2050 haverá mais plástico do que peixes no oceanos. Pesquisas apontam para a presença de microplásticos em quantidades nunca imaginadas nos mares. E, durante a pandemia, a situação se agravou ainda mais.

Como as pessoas têm ficado mais tempo em casa, o volume de descartáveis de delivery e compras pela internet embaladas em sacos plásticos cresce dia a dia. Os serviços de reciclagem estão parados e, com o petróleo em queda, é mais barato produzir novos plásticos do que reciclar.

Luvas, máscaras e outros EPIs estão sendo mal descartados e começam a representar uma nova onda de poluição oceânica. O cenário é preocupante, mas é sim possível reverter essa situação.

Mulheres apresentam soluções

A Liga das Mulheres pelo Oceano, criada pela jornalista Paulina Chamorro, pela fotógrafa Barbara Veiga e pela pesquisadora Leandra Gonçalves, é um movimento em rede que busca potencializar ações e ideias pela proteção dos oceanos. Hoje a liga, liderada pelas 3 fudadoras, reúne mais de 1,7 mil mulheres, profissionais de diferentes áreas e campos de atuação, de mais de 20 estados do Brasil e 17 países do mundo.

O movimento apoia os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, principalmente na conexão do ODS14 – Vida na Água com o ODS5 – Igualdade de gênero.

Por que agora?

“O Brasil é o 4º maior produtor de lixo plástico do mundo. A pandemia nos trouxe uma oportunidade amarga e triste de revermos nossos comportamentos e hábitos de consumo”, explica a jornalista Paulina Chamorro.

“Mesmo à distância, precisamos fortalecer nossa ligação profunda com a vida no planeta e cuidar dos nossos mares!”, alerta Paulina.

A Liga das Mulheres pelo Oceano produz conteúdo de qualidade e reúne importantes informações que podem ajudar a embasar decisões e elaborar políticas públicas em defesa da vida marinha. As mulheres da Liga desenvolvem projetos e criam campanhas temáticas, além de apoiar os projetos de quem faz parte do movimento.

Imagem: Divulgação
Liga das Mulheres pelo Oceano

#agenteLIGAparaooceano

“A gente liga para o oceano” é uma campanha de proteção da vida marinha sob a ótica feminina. A iniciativa convida mulheres a se unirem contra a poluição do plástico no oceano, contribuindo para a conscientização sobre o problema e transformando hábitos individuais e coletivos.

“Queremos incentivar e inspirar mulheres conectadas ao mar, por meio de suas histórias e desafios, a se tornarem grandes agentes de proteção do oceano contra a poluição plástica”, explica a pesquisadora Leandra Gonçalves.

Em sua primeira fase, a campanha convidou atletas do Brasil para compartilhar seu amor pelo mar e a necessidade de protegermos a vida marinha. São atletas de modalidade ligadas à água, mas que mantêm uma ligação com o mar e com este recurso natural que vai muito além da profissão.

https://www.facebook.com/watch/?v=615749472418676&extid=Ply5S1h9eNE7tXtE

Atletas pelo oceano

“Tenho uma conexão muito grande com a água. Na água, dentro das piscinas, eu tenho o valor da superação, e no mar tenho o valor de pertencimento ao mundo. Eu adoro o mar e eu o escolho para meus momentos de relaxamento e paz. É onde me reconecto com o mundo diante da intensa carreira de atleta de alto rendimento”, diz a nadadora Etiene Medeiros.

“Dar atenção a essa questão faz diferença e estar ao lado de mulheres importantes e engajadas me deixa feliz. Somos um batalhão com um olhar diferenciado para a sociedade”, finaliza Etiene

A onda de mulheres que estão levantando a bandeira da defesa do oceano está crescendo a cada dia. “Chegou a hora de nós mulheres sermos as protagonistas da mudança”, afirma Leandra.


Além de Etiene Medeiros, já fazem parte da campanha atletas como Kahena Kunze (vela), Isabel Swan (vela), Lorena Molinos (nado sincronizado), Virna Piovezan (vôlei), Suelen Naraisa (surf), Karina Oliani (mergulho), Chantalla Furlanetto (surf), Karoline Meyer (mergulho) e Silvia Nabuco (surf).

Quer participar?

As mulheres que quiserem apoiar a campanha digital “A gentel iga para o oceano” podem compartilhar depoimentos, fotos e vivências em suas redes sociais, no Facebook e Instagram, chamando outras mulheres guerreiras para se engajarem com a campanha contra a poluição plástica, para repensarem comportamentos individuais de consumo e se juntarem à Liga das Mulheres pelo Oceano nessa luta.

Sempre que fizer uma postagem marque a @ligadasmulherespelooceano e use a hashtag #agenteLIGAparaooceano.

Para mais informações acesse as redes sociais e o site da Liga das Mulheres pelo Oceano: Site | Facebook | YouTube | Instagram

Para fazer parte da liga, entre no site www.mulherespelosoceanos.com.br