- Publicidade -

A demanda por órgãos de peixes e tubarões no mercado asiático, especialmente na China, tem sido apontada como a responsável pela matança ilegal de 280 mil espécies marinhas na costa brasileira. É o que apontam os cálculos da ONG Instituto de Justiça Ambiental, baseados em relatórios de infração e apreensões do Ibama no Pará.

O instituto pede indenização de R$1,4 bilhão pelos danos ambientais “irreversíveis e incontáveis” na costa paraense. Ainda assim, segundo a ONG, o valor deve subir à medida que apresentarem pareceres técnicos sobre todos os ecossistemas prejudicados.

Foram capturados ilegalmente, pelo menos, 25 toneladas de barbatanas de tubarão e bexigas natatórias de animais não identificados.  

- Publicidade -

Em maio, agentes do Ibama no Pará conduziram uma batida e apreenderam, de uma única empresa, 3,3 toneladas de barbatana de tubarão e mais de duas toneladas de bexiga natatória de outros peixes. De acordo com o Ibama, as barbatanas seriam vendidas a R$65 o quilo, enquanto as bexigas natatórias custam de R$21 a R$81 o quilo.

Entre os animais abatidos estão espécies em risco de extinção, como o tubarão-grelha.

"Nunca ouvimos nada parecido. O que é assustador é que provém de apenas uma empresa. Imaginem então as quantidades que escapam da fiscalização do Ibama/PA", disse o diretor do Instituto, Cristiano Pacheco, à BBC.

Com informações do G1

+ Ciência Marinha sofre com falta de especialistas

+ Pesquisa mostra como ecossistema marinho na Antártida está ameaçado

- Publicidade -