Mais 57 agrotóxicos foram liberados no país na última quinta-feira (3). Há cerca de duas semanas, o governo já havia registrado 63 agrotóxicos. Ao menos, desta vez, 10 substâncias anunciadas são biológicas – isto é, podem ser usadas na agricultura orgânica.

Dos produtos liberados, 41 são genéricos de substâncias já presentes no mercado e seis são novas. Até então, apenas quatro ingredientes ativos novos haviam sido autorizadas, contrastando assim com o argumento de que as novas aprovações seriam para modernizar e trazer substâncias menos tóxicas. Confira o tópico “toxicidade dos produtos” nesta matéria.

A organização ambiental Greenpeace ressaltou que as novas aprovações foram divulgadas pelo Ministério da Agricultura exatamente ontem (3/10): Dia Nacional das Abelhas. Como se sabe, elas são uma das maiores prejudicadas do aumento do uso de agrotóxicos.

Abelhas ameaçadas

Responsáveis por 70% da polinização no mundo, as abelhas são essenciais para a produção de alimentos. Porém, não é de hoje, que a FAO vem alertando para o declínio das espécies. Aqui mesmo no Brasil tivemos um exemplo claro quando meio bilhão de abelhas morreram em apenas três meses, como mostrou a reportagem da Agência Pública.

Um estudo, publicado em 2018, mostrou como abelhas podem ficar viciadas em pesticida à base de nicotina. Em Vitória, capital do Espírito Santo, foi aprovado um Projeto de Lei que proíbe o uso de agrotóxicos à base de neonicotinóide. Medida que não resolve todos os problemas, mas ao menos reconhece a questão.

Uma pesquisa recente da USP revelou que às espécies são afetadas até por cerconil, agrotóxico utilizado contra fungos e que, até então, era considerado inofensivo para abelhas. Outro estudo, publicado nesta semana pela Agência Fapesp, mostrou como a larva da abelha canudo (Scaptotrigona depilis) depende da interação entre três diferentes espécies de fungo para se desenvolver. Esse processo, no entanto, pode ser afetado pelo uso indiscriminado de agrotóxicos.

Leia também:

Florianópolis proíbe uso de agrotóxicos

Bairro em Londres vai criar 11km de corredor de flores para abelhas