- Publicidade -

O litoral brasileiro tem sido constantemente bombardeado de lixo estrangeiro. Não existe ainda um monitoramento específico para controlar a sujeira que é espalhada no oceano pelas embarcações internacionais, turísticas e cargueiras, por isso é impossível conter a poluição gerada por objetos jogados no mar.

Entre as regiões mais afetadas por esse lixo, está o litoral baiano, área escolhida para servir de sede para a ONG Global Garbage. Instalada aqui no Brasil desde 2001, a ONG tem como objetivo mapear quais são os locais que mais poluem os oceanos. O fator que mais colabora para a chegada desses entulhos ao norte da Bahia é a corrente marítima Sul-Equatorial, que carrega a sujeira da África pra cá.

Desde quando a ONG iniciou seus trabalhos em terras baianas, foram encontrados dois mil produtos dos mais diversos tipos e origens. As embalagens americanas são as mais comuns, entre os produtos estão supositório e chantilly. A Itália é líder em talco mentolado, a África do Sul em milk shake em pó, a Alemanha em cola bastão e por aí vai.

- Publicidade -

A lista é longa e diversificada, o que nos deixa mais tristes ainda, já que um dos litorais mais bonitos do mundo está servindo de “lixão” mundial e a situação permanece sem controle.

Informações: Planeta Sustentável / Global Garbage
- Publicidade -