Conservar a mata ciliar, ou seja, a que se desenvolve nas margens dos rios, é fundamental para o desenvolvimento da flora, fauna e qualidade da água que chega até nossas torneiras, por isso, o Projeto Tecendo as Águas, do Instituto Supereco, tem como meta o plantio de 8,5 mil mudas de árvores nativas no litoral norte de SP até junho de 2015.

Dia 17 de janeiro, próximo sábado, das 8h às 12h, o plantio de 2 mil mudas será na Fazenda Boi N’Água, Estrada Cambixo, Km 3, bairro Cambixo (Rio Claro), na área rural de Caraguatatuba. Toda a comunidade está convidada a participar devendo, nesse caso, ir com roupas confortáveis, botas, chapéu ou boné. As inscrições devem ser feitas pelo fone (12) 3892-6292 com Violeta ou Natália. Aos participantes será oferecido lanche e suco.

Trata-se de um plantio educativo e comunitário envolvendo os objetivos Saberes das Águas e Águas da Mata do Projeto Tecendo as Águas com apoio especial do Programa de Educação Ambiental da Nova Tamoios Contornos. As atividades de plantio serão auxiliadas e orientadas por profissionais da área de gestão ambiental da DERSA – Desenvolvimento Rodoviário S/A, empresa responsável pela implantação da nova rodovia do Litoral Norte.


Foto: Divulgação / Instituto Supereco

Ainda haverá outros três mutirões para plantio de mudas até março. Entre as mudas estão espécies como sangra d’água, capororoca e aroeira-pimenteira que são árvores pioneiras, isto é, crescem rápido e dão sombra para outras espécies se desenvolverem. Serão plantadas também árvores como ingá, figueira, araçá e guarucaia cujos frutos aves e outros animais como macacos apreciam bastante e ajudam a dispersar sementes, auxiliando no crescimento de mais árvores. Nesse plantio serão ainda usadas mudas de pau-viola, tamboril, suinã, maricá, mutamba da várzea e angico branco.

São todas árvores presentes na Mata Atlântica, muitas específicas da restinga, ecossistema que hoje sofre forte degradação pela ação do ser humano. A ação acontece na beira do Rio Claro, um dos afluentes do Rio Juqueriquerê, ao lado do plantio realizado pelo Supereco em dezembro, criando um corredor biológico.


Imagem de satélite ilustrando o corredor da biodiversidade idealizado pelo projeto. l Imagem: Juliano Rohja

O Tecendo as Águas tem patrocínio da Petrobras por meio do programa Petrobras Socioambiental,  parceria da Chevrolet e dos Institutos Educa Brasil e Trata Brasil, e apoio do Centro de Educação Ambiental de Guarulhos, do Made in Forest, da OBME e das Prefeituras Municipais de São Sebastião e de Caraguatatuba.

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.