- Publicidade -

Um estudo de dez meses sobre o Código Florestal Brasileiro será lançado na próxima segunda-feira (25),  pelo grupo de trabalho (GT) organizado pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e pela Academia Brasileira de Ciências (ABC). O objetivo do trabalho é oferecer argumentos científicos e dados para subsidiar o debate sobre as mudanças na lei.

As discussões sobre a reforma do Código Florestal começaram no ano passado, quando a proposta apresentada pelo deputado federal Aldo Rebelo (PCdoB – SP) foi votada em comissão especial na Câmara. 

A proposta, no entanto, desagradou ambientalistas e ao governo, que resolveu então alterar o projeto de Rebelo para facilitar sua aprovação no Congresso. A proposta deve ser votada até junho. Segundo José Aleixo da Silva, da SBPC, o livro com as contribuições dos cientistas será entregue a ministros e parlamentares. "Essa briga não adianta, os dois lados vão ter de ceder.", afirmou Silva

- Publicidade -

O GT iniciou os trabalhos no dia 07 de julho de 2010, e durante o período de aproximadamente dez meses realizou enumeras reuniões presenciais em São Paulo, e fez duas apresentações de resultados preliminares em Brasília, uma no dia 22 de fevereiro, em um seminário organizado por deputados da Comissão de Meio Ambiente, que contou também com presenças de deputados da bancada ruralista e da Presidente da SBPC, Professora Helena Nadaer.

Muitos profissionais e políticos foram convidadas a participar de reuniões do GT, entre elas os deputados Aldo Rebelo e Ivan Valente (PSOL), que defendem posições contrárias quando ao Código Florestal e seu substitutivo.

O sumário do estudo reafirma a importância das áreas de preservação nas propriedades, e ressalta a necessidade de medidas urgentes dos governantes para reverter o estágio atual de degradação ambiental.

Além da forma de livro o documento também ficará disponível após seu lançamento nos sites da SBPC e ABC. As informações são do Estadão e da ABRAMPA.

- Publicidade -