O SeaWorld é um parque norte-americano conhecido internacionalmente por seus espetáculos aquáticos. Golfinhos e baleias orcas protagonizam grandes shows. Mas, toda essa beleza parece custar muito caro para os animais. Segundo o ex-treinador John Hargrove, as baleias que vivem no parque são dopadas todos os dias de suas vidas.

Após trabalhar no SeaWorld durante 14 anos, Hargrove decidiu escrever um livro contando tudo o que vivenciou e viu no parque. Além disso, o treinador de baleias também concedeu uma entrevista ao site de defesa animal The Dodo, em que ele compartilha algumas dessas tristes experiências.

Segundo o norte-americano, os animais são drogados diariamente com diferentes tipos de medicação, que variam de anti-psicóticos, para reduzir os níveis de testosterona no organismo, a benzodiazepínicos, responsáveis por acalmá-los. Para o parque, este processo todo é necessário para manter os animais saudáveis dentro dos tanques artificiais.


Foto: Jeff Kraus/Flickr

Para a cientista em mamíferos marinhos, Naomi Rose, nada disso seria necessário se os animais não vivessem dentro de um cativeiro. “Eu posso garantir que essas medicações são usadas como resultado de problemas associados ao cativeiro. Orcas selvagens não usam nenhuma medicação e todas elas parecem estar perfeitamente bem”, opinou a especialista ao site The Dodo.

Outros treinadores que passaram pelo SeaWorld durante as últimas décadas confirmam a informação dada por Hargrove. As baleias que vivem nos tanques estão muito sujeitas a infecções dentárias, devido ao constante contato de seus dentes com o concreto. Por isso, são ministrados antibióticos para evitar este tipo de problema. As úlceras também são muito comuns, assim como os fungos. Para evitar a proliferação de doenças originadas pelos fungos, os peixes usados como alimento recebem uma injeção de antifúngicos antes de serem dados aos animais.

Em alguns casos, as medicações são tão fortes que se tornam perigosas até para os seres humanos responsáveis por ministrá-las. Um dos exemplos citados por Hargrove é o Regu-Mate, usado para estimular a ovulação, e outros contraceptivos, utilizados para regular o período fértil. Essas drogas são tão perigosas que precisam ser administradas por homens, pois podem deixar as mulheres estéreis. “Nós precisávamos usar luvas, injetar o medicamento no peixe e colocá-lo em um prato separado. Depois disso, tudo precisava ser limpo e esterilizado”, relembra o treinador.

Durante muitos anos os tratadores eram obrigados a nadar com as baleias enquanto elas estavam totalmente sedadas devido à enorme quantidade de medicações. Desde 2010, após a morte da treinadora Dawn Brancheau, a prática foi proibida.

Por Thaís Teisen – Redação CicloVivo 

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.