- Publicidade -

Cientistas chineses anunciaram na última segunda-feira (24), a descoberta de um dinossauro do tamanho de um papagaio com apenas um dedo em cada pata.

O novo dinossauro foi descoberto em uma formação rochosa rica em fósseis que data do período Cretáceo, entre 84 e 75 milhões de anos. O local fica perto do interior da cidade de Linhe, na Mongólia, que ajudou a inspirar o nome do dinossauro.

O Linhenykus monodactylus é um membro dos dinossauros terópodes, grupo de carnívoros bípedes que inclui os tiranossauro rex e o velociraptor.

- Publicidade -

A maioria dos terópodes tinham três dedos em cada pata. Mas o Linhenykus pertence a uma família conhecida como alvarezsauroides. Estes animais são pequenos, de pernas longas com um dedo grande ao lado de dois dedos pouco funcionais, como duas protuberâncias.

Fósseis de alvarezsauroides foram encontrados na América do Norte e Sul e também na Ásia, as espécies datam do período Jurássico tardio até o fim do período Cretáceo. Encontrar um alvarezsauroide na Ásia com essa data acrescenta à história de dispersão deste grupo ao redor do mundo, conforme explicado pelo pesquisador líder do estudo e do Instituto de Paleontologia de Vertebrados e Paleoantropologia de Pequim, Xu Xing. "Eles provavelmente se originaram na Ásia, então se dispersaram da Ásia para ‘o antigo supercontinente’ Gonduana, depois voltaram para a Ásia e, finalmente, da Ásia à América do Norte", disse ele.

A pata do Linhenykus não tem um osso de sobra para um segundo dedo, mas “a protuberância de um dedo não teria sido usada”, acrescentou Xu.  Isso faz dele o único dinossauro conhecido de um dedo só, finalizou o especialista.

Os outros dinossauros deste grupo provavelmente não faziam muito uso de seus dedos funcionais, notam os autores do estudo. Mas os dedos extras teriam sido biologicamente de baixo custo de manutenção, por isso não desapareceram totalmente.

Os cientistas acreditam que os dinossauros usavam seu dedo médio para a escavação, o que o teria tornado maiores, levando ao eventual desaparecimento dos dois dedos não funcionais. No entanto, o único dedo deste dinossauroe ra menor do que o dedo médio de espécies com três dedos. "Nós não vemos isso muitas vezes na evolução dos dinossauros", disse Xing.

Em contrapartida, o Linhenykus monodactylus não tinha protuberância vestigial funcional, e seu longo dedo não foi tão especializado para escavação, como os dedos de outros alvarezsauroides. Isso demonstra que a evolução da pata neste grupo "não segue uma tendência linear simples", descrevem os autores do estudo.

A análise cladística (método de análise das relações evolutivas entre grupos de seres vivos, de modo a obter a sua "genealogia") doLinhenykus identifica-o como o mais simples parvicursorine, além dos dois dedos, que apresentam morfologia delgada e outras características primitivas.

No entanto, também ele é uma novidade evolutiva, por apresentar a redução mais extrema dos dígitos manuais laterais, vistos em qualquer alvarezsauroide. As falanges são retidas somente no dedo médio, tornando-o o único dinossauro monodáctilo funcional, conhecido.

A surpreendente combinação de características vistas nas patas do dinossauro encontrado, aponta para um complexo padrão de mosaico na evolução dos alvarezsauroides, com a perda dos dedos vestigiais dissociado da mudança na forma de um segundo dedo.

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter

- Publicidade -