- Publicidade -

A cidade de Votorantim, no interior de São Paulo, dará um destino correto às bitucas de cigarro. Através de uma parceria entre a prefeitura e empresas de reciclagem, os restos de cigarro, que antes eram jogados no chão, serão transformadas em adubo orgânico.

Uma das parceiras, a empresa Poiato Recicla, desenvolveu bituqueiros que serão espalhados por locais estratégicos da cidade, que tem 120 mil habitantes. Os pontos escolhidos são portas de bancos, restaurantes e prédios públicos.

O projeto, conforme explica o empresário Marcos Poiato, foi trazido de Londres, por um médico. Ele se tornou ideal para São Paulo, devido à aprovação da Lei Antifumo, que vigora no estado desde maio de 2009. Após a proibição do fumo em locais fechados, a quantidade de cigarros jogados nas calçadas e ruas aumentou consideravelmente.

- Publicidade -

O empresário lembra que “20 bitucas num manancial geram poluição equivalente a um litro de esgoto”. Por isso, a proposta instaurada em Votorantim foi estendida para outras 37 prefeituras e, muitas delas mostraram interesse em aderir ao projeto.

As bitucas recolhidas no interior de São Paulo serão encaminhadas para outra empresa parceira do projeto, a Conspizza, de Uberlândia (MG). Lá, serão retirados os metais pesados e outros componentes agressivos contidos no cigarro, para que os resíduos “limpos” sejam misturados a um composto orgânico.

O adubo resultante do reaproveitamento das bitucas será usado para enriquecer o solo e as plantas nos projetos de recuperação ambiental da região. “A lei [antifumo] limpou o ar, agora vamos limpar o chão e o resto do ambiente”, afirmou o prefeito de Votorantim, Carlos Pivetta (PT).

Com informações do Estadão

- Publicidade -