Pensando no alto índice demográfico do município de Praia Grande, litoral paulista – a previsão é que em dez anos, sejam mais de 360 mil habitantes – a cidade apresentou o Plano de Arborização. O projeto prevê o plantio de cerca de 11 mil árvores por ano em toda malha urbana, totalizando 55 mil árvores plantadas em cinco anos.

“Originalmente, essa era a meta para 20 anos”, comenta o chefe do departamento de Manutenção Ambiental da Secretaria de Serviços Urbanos (Sesurb), Marcelus Condé. “O Plano de Arborização Municipal vem acelerar esse processo de forma ordenada, de modo a prever o grande crescimento da cidade, garantindo a qualidade de vida de seus habitantes”.

Praia Grande já vem fazendo a lição de casa. Apenas em 2014, o Município, através da Sesurb, realizou o plantio de três mil árvores, mas o trabalho já é realizado desde 2001. A bióloga da secretaria de Meio Ambiente (Sema), Elaine dos Santos Rovati, destaca que os benefícios do projeto são inquestionáveis. “A arborização exerce papel vital para a qualidade de vida nos centros urbanos. Por suas múltiplas funções, a árvore urbana atua diretamente sobre o clima, a qualidade do ar, o nível de ruídos, no equilíbrio da temperatura, na proteção do lençol freático, e fornece sombra, além de constituir refúgio indispensável à aves remanescentes nas cidades”.

Paralelo ao Plano Municipal de Arborização, a Administração Municipal prepara uma nova legislação, que regulamenta o plantio de árvores na cidade e protege as mudas e árvores adultas já plantadas. As espécies escolhidas são de pequeno e médio porte e de enraizamento específico não interferem na fiação elétrica ou na tubulação de água.

Também se levou em consideração na escolha espécies com flores e frutos, que atraiam aves e borboletas. O projeto tem a função de identificação. Em breve, munícipes poderão dizer que moram na rua dos Ipês Amarelos, das Quaresmeiras ou das Chuvas de Ouro, entre outras.

O Plano de Arborização Municipal deve ser finalizado em junho, quando começam os trâmites legais para sua execução. 

Por Lorena Flosi – Prefeitura de Praia Grande

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.