- Publicidade -

Ocorre nesta terça-feira (24) a segunda tentativa de votação do Código Florestal. Após a falta de acordo e de quórum da primeira sessão, a Câmara se reúne para buscar um consenso e determinar o futuro da legislação ambiental brasileira.

Mesmo que a sessão esteja marcada para hoje, os pontos de entrave na proposta continuam gerando polêmica, já que o deputado Aldo Rebelo (PCdoB) manteve a anistia e a não obrigatoriedade de recuperação das Áreas de Preservação Permanente ou Reserva Legal.

Diante disso, a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, informou que a presidente Dilma Rousseff não concorda com parte das sugestões e pode vetar algumas áreas da proposta.

- Publicidade -

O último final de semana foi marcado por protestos de ambientalistas, que se reuniram no Parque Ibirapuera, na capital paulista para protestarem contra as mudanças idealizadas por Aldo Rebelo. A manifestação contou com a participação de ONGs e da ex-candidata à presidência, Marina Silva, que aproveitou a ocasião para cobrar o comprometimento ambiental feito pela presidente Dilma Rousseff durante o segundo turno das eleições, quando a então candidata afirmou impedir qualquer ação que provocasse o desmatamento.

Em declaração à Agência Brasil, a ministra Izabella Teixeira, saiu em defesa da presidente, informando que ela honrará o compromisso feito em 2010. “A presidente não aceita nada que não esteja balizado no compromisso que ela fez na campanha. Não aceita anistia para desmatadores, não aceita degradação de APP e não aceita que não haja recuperação de APP. Se isso eventualmente for aprovado, irá à apreciação dela, eu certamente vou pedir a ela o veto”, informou a ministra. Com informações do Estadão, Folha e Agência Brasil.

Redação CicloVivo

Siga as últimas notícias do CicloVivo no Twitter

- Publicidade -