Ao contrário do que se imaginava até pouco tempo, o aquecimento global não beneficia o crescimento das plantas. A informação foi divulgada em um estudo publicado pela revista Science, que comprova, após diversas pesquisas, que a produtividade dos vegetais caiu em todo o mundo.

Os cientistas responsáveis pelo estudo, Maosheng Zhao e Steven Running, da Universidade de Montana, nos EUA, identificaram como causa da baixa produtividade a seca regional. Antes, pensava-se que o aumento da temperatura, radiação solar e disponibilidade de água, causados pelo aquecimento global, fizessem com que as plantas crescessem mais rápido. A teoria, desenvolvida por cientistas da NASA, foi concluída em 1999 e foi usada por Zhao e Running para o desenvolvimento dos estudos mais atuais.

A pesquisa recente mostrou que, realmente em algumas regiões a produtividade das plantas aumentou. Mas, nas áreas de florestas tropicais, que são as principais responsáveis pela vegetação terrestre, as altas temperaturas proporcionam desenvolvimento reduzido na produtividade.

A produtividade vegetal é medida através do processo de fotossíntese, realizado pelas plantas para a absorção de energia solar, dióxido de carbono e água. Os estudiosos registraram diminuição de 1% na capacidade produtiva nas plantas. Apesar de parecer pequena, essa é uma redução bastante significativa, principalmente quando é considerada a importância desse desenvolvimento para a produção de alimentos e biocombustíveis.

Com informações da Agência FAPESP

Imagem: Mayra Rosa

Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.