Na segunda-feira passada (26 de agosto), o Nordeste bateu mais um recorde de geração de energia eólica: A média diária chegou a 8.650 MW. O recorde anterior havia sido registrado no dia 15 de agosto, quando foram produzidos 8.467 MW médios, segundo o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).

Já nesta segunda-feira (2), a Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) afirmou que a geração eólica na região, no mês de agosto, chegou a 7.385 MW médios. A geração corresponde a um volume 27% maior, em comparação aos 5.812 MW médios registrados em julho. Para Rodrigo Azambuja, da gerência de Preços da CCEE, o aumento reflete a maior pressão no nível médio do mar. 

Seja qual for a razão, o aumento da produção de energia renovável, que temos visto nos últimos anos, tem contribuído muito para atender à demanda da região – que não pode ser garantida apenas pelas hidrelétricas. 

Em 2018, a geração eólica cresceu 17,8% no país e, dos dez maiores produtores, oito estão no Nordeste. Entre os estados, o destaque fica para o Rio Grande do Norte que, com seus ventos fortes, é o maior gerador de energia eólica no Brasil.