A seca que atinge o estado da Califórnia, nos EUA, tem obrigado as autoridades locais a apelarem para novas tecnologias e buscarem alternativas para garantir que os habitantes tenham água suficiente. Na cidade de San Diego, o governo anunciou o investimento de US$ 1 bilhão em uma usina dessalinizadora.

Transformar a água do mar em água potável é uma medida já aplicada em diversos locais do mundo, como forma de aproveitar a imensidão dos oceanos. No entanto, San Diego é a primeira metrópole da Califórnia a acreditar e investir pesado na estrutura como forma de driblar a crise hídrica.

Conforme informado pelo The New York Times, a usina já está em construção e deve ser inaugurada em novembro deste ano. A experiência servirá como teste para verificar se outras cidades californianas podem seguir o mesmo caminho para garantir o abastecimento a todos os moradores.

O projeto prevê a edificação da maior usina de dessalinização de todo o hemisfério ocidental, com capacidade para produzir 190 milhões de litros de água potável por dia. A estrutura levou anos para ser aprovada, mas pode ajudar a cidade a reduzir drasticamente os custos, já que, atualmente, ela importa água de outra região.

O lado negativo da usina, no entanto, é o perigo ambiental que ele pode representar. Para dessalinizar a água, o sistema utiliza grande quantidade de energia. O projeto não inclui um sistema de produção energética limpa e a empresa responsável pela estrutura informou apenas que as emissões de gases de efeito estufa serão compensadas através de diferentes projetos.

Grupos ambientalistas norte-americanos argumentam que esta deve ser a última opção e que, antes de construir uma usina deste porte, é preciso aproveitar as opções naturais, manejadas de maneira sustentável. Os ativistas também lembram que a redução no consumo é essencial para a preservação do recurso e dos mananciais.

Redação CicloVivo

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.