Em comemoração ao Dia do Índio, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) apresentou a publicação “O Brasil Indígena”, que traz a síntese dos dados demográficos da população indígena sistematizados pelo Censo do IBGE/2010. O documento, produzido em parceria com a Fundação Nacional do Índio (Funai), foi lançado na última quinta-feira (18), no Memorial dos Povos Indígenas.

O material será distribuído em escolas, instituições públicas e instituições que trabalham com os povos indígenas. O Censo 2010 contabilizou 896 mil pessoas que se declaram ou se consideram indígenas. O estudo revela um crescimento da população indígena em relação ao Censo 2000, quando 294 mil pessoas se declararam indígenas.

De acordo com o IBGE, o crescimento se deve ao “número de pessoas que se reconheceram como indígenas, principalmente nas áreas urbanas do país”. “A publicação demonstra a recomposição demográfica dos povos indígenas no Brasil e mostra o quanto eles contribuem para a formação do povo brasileiro”, disse a presidente da Funai, Marta Azevedo.

No mesmo evento foi aberta a mostra Arte Karajá – Iny Bededyynana, que traz a produção da cultura material do povo Karajá, com destaque para a ritxoko, cerâmica produzida pelas mulheres da etnia e que foi tombada pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) como patrimônio cultural do Brasil em 2012. Com cerca de três mil indivíduos, o povo Karajá é originário da Bacia do Rio Araguaia, entre os estados do Tocantins, do Pará, de Mato Grosso e Goiás.

Por Luciano Nascimento – Agência Brasil

Avatar
Arquiteta e urbanista com formação em desenvolvimento sustentável pela University of New South Wales, em Sidney, Austrália. Fundou o CicloVivo em 2010 com a proposta de falar sobre sustentabilidade de forma divertida e descomplicada. Acredita que o bom exemplo é a melhor maneira de influenciar pessoas e que a simplicidade é a chave para vivermos em harmonia.